sexta-feira, 24 de Agosto de 2012 14:57h Luciano Eurides

Flamengo comemora 74 anos de muita história

O próximo domingo, dia 26, será de muito futebol e comemorações no Flamengo do Mendes Mourão, afinal são 74 anos de dedicação ao esporte amador e principalmente a revelação de jogadores

O próximo domingo, dia 26, será de muito futebol e comemorações no Flamengo do Mendes Mourão, afinal são 74 anos de dedicação ao esporte amador e principalmente a revelação de jogadores para o esporte nacional. Grandes nomes já passaram pelos gramados da Estação Velha, uns seguiram o futebol profissional, outros são profissionais liberais, empregados e empregadores que certamente relembram com muita saudade os tempos de criança e as amizades construídas a beira da linha.

 


Relembrar os bons tempos de Flamengo é sempre assunto para muita conversa e boas recordações, pessoas que há muito tempo não encontramos e outras que se reencontram com os filhos refazendo o caminho. Quem entra para o Rubro Negro divinopolitano certamente sonha em ser um jogador profissional, como Chico Marcelo, Michel Cury, Michel Elói, Fred, Marcelinho, Iago, Dudu. Ari Segundo ou Segundinho como era chamado no Flamengo e fez carreira na Alemanha, da mesma forma Emerson, que na época era Buiú.

 


O atacante Chico Marcelo lembra com saudades dos tempos de Flamengo. “Tempos que não voltam mais, uma alegria imensa em estar jogando, treinando e vestindo aquela camisa, é um clube histórico em Divinópolis e de um prestígio muito grande. Eu só tenho a agradecer o Zé Carlos Rocha, ao falecido Zé Padeiro, nos acompanhava dia e noite a viagens e campeonatos”, disse e parou de falar repentinamente e continuou. “Fico emocionado em relembrar esse tempo, tenho de parabenizar por tudo e todos, o Zé Carlos, Cleusa, Willian, Alessandro e toda a família. Nós pegamos lá uma safra muito boa de jogadores, a escolinha tinha um campeonato muito concorrido, fiz muitos amigos e até hoje eles estão presentes na minha vida”, declarou.

 


Marcelinho, hoje defende o Guarani, fez toda a base no Flamengo e participou do projeto de onde nasceu o Divinópolis Esporte Clube (DEC). “Joguei lá a minha vida toda e foram os melhores momentos não tenho duvida disso, uma família, Atila, Cesarinho, Tinino foram pessoas que fizeram eu crescer dentro e fora do campo, só tenho a agradecer os momentos que passei lá, pois fui muito feliz”, disse e relembrou 2005. “Até hoje temos uma pelada e a amizade continua e são os melhores amigos, inclusive o Gilson Morais”, e finalizou. “É uma escolinha muito série e revela grandes jogadores”, afirmou.

 


Ser profissional do esporte não quer dizer ser jogador, pelo clube também passaram treinadores, como Leston Júnior, hoje no interior paulista. Brancão que comanda a categoria júnior do Nacional, este como jogador e depois treinador e Mateus Levi, empresário e gestor da Levi Esportes. Mateus foi campeão e artilheiro em todas as categorias, aliás ele, aos xx anos na cidade somente não tem o título de campeão veterano. Ele ressalta a importância do Flamengo. “O Flamengo da Estação Velha foi muito importante , momentos marcantes que estarão sempre na memoria, amigos que foram feitos e com certeza muito aprendizado com pessoas que ali conduzia o flamengo na época , estaremos sempre na torcida pelo Flamengo”, disse.

 

 

ÚLTIMAS REVELAÇÕES

 


Recentemente o clube encaminhou três atletas para o Santo André: Felipe Alexandre, Felipinho e Vinícius Paulo, ainda outros já estão a caminho de clubes com estrutura profissional, Luís Felipe já está no América Mineiro e Lucas Rodrigues no Atlético Mineiro. Katatau no Cruzeiro e Otávio com lugar garantido no Friburguense.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.