sábado, 28 de Julho de 2012 09:36h Gazeta do Oeste

Folclórico personagem do futebol mineiro, Marcha-Ré falece em Belo Horizonte

O futebol mineiro perdeu um personagem folclórico nesta sexta-feira. Em decorrência de problemas no coração e nos rins, faleceu o ex-árbitro Antônio Gomes de Oliveira, conhecido como Marcha-Ré. Ele havia completado 80 anos em abril e dedicou 30 deles à arbitragem. Depois de largar o apito, ele trabalhou como delegado de pista nas partidas chefiadas pela Federação Mineira.

 

 

O corpo de Marcha-Ré será velado no Cemitério da Paz nesta sexta e o enterro ocorrerá na manhã de sábado, às 10h, no mesmo local. O filho do ex-árbitro, Danilo, comenta detalhes da carreira e conta qual era o time de coração do pai.

 

“Ele apitava desde a inauguração do Mineirão, em 1965. Foram 30 anos na arbitragem e depois ele ficou como delegado de pista. Com o fechamento do Mineirão para a Copa, ele passou a se dedicar aos projetos pessoais. Ele era torcedor do Villa Nova”, afirmou.

 

 

Personagem de muitos casos folclóricos no futebol, Marcha-Ré gostava de contar para a família sobre uma briga em Uberlândia, envolvendo Edmundo, à época no Flamengo, e Zandoná, defensor do Vélez.

 

“Meu pai adorava contar o dia em que ele entrou no campo do Parque do Sabiá para separar a briga do Edmundo. O vídeo saiu na internet e ele disse que a confusão poderia ter sido pior”, disse Danilo.

 

 

O ex-árbitro recebeu esse apelido porque gostava de correr de costas para acompanhar as jogadas de perto. O filho de Antônio Gomes conta que ele tinha facilidade de correr dessa maneira. 

 

 

 

 

 

 

 

SUPERESPORTES

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.