quinta-feira, 6 de Fevereiro de 2014 05:51h

Galo conhece todos adversários da Libertadores da América

O Independiente Santa Fé, da Colômbia, é o 4º integrante do grupo do Atlético na Libertadores.

A equipe colombiana se classificou para a fase de grupos ao vencer o Monarcas Morelia, do México, por 1 a 0, na noite de terça-feira, no estádio El Campin, em Bogotá. No jogo de ida, no México, o Monarcas Morelia venceu por 2 a 1. O gol fora de casa deu a vaga para o Independiente Santa Fé, que chegou às semifinais da Libertadores do ano passado, conquistada pelo Galo.
O Grupo 4 terá, então, Atlético, Nacional (PAR), Zamora (VEN) e Independiente Santa Fé (COL). O Galo estreia na Libertadores no próximo dia 11, enfrentando o Zamora, na Venezuela.
Com uma inflamação no tornozelo esquerdo, o zagueiro Réver foi desfalque na partida desta quarta-feira, contra o Tombense, na Arena Independência. “O Réver teve um processo inflamatório no tornozelo, não teve condição de jogo no último final de semana, ainda não está totalmente recuperado e está fora do jogo. Estamos tentando recuperá-lo para que tenha condição de viajar para nossa primeira disputa pela Copa Libertadores. Vamos ver a evolução do jogador e precisamos de um pouco mais de tempo para a resposta clínica que ele vai apresentar”, informou o médico Rodrigo Lasmar.
Ele também comentou a situação do zagueiro Emerson. “O Emerson foi operado no Hospital Mater Dei. Ele teve uma fratura no tornozelo, e fraturou a fíbula, rompeu os ligamentos do tornozelo direito. Foi feito tratamento para fixação dessa fratura e reparto das lesões ligamentares. Tudo correndo bem, ele deverá ter alta ainda hoje e, na sequência, precisará de um tempo de imobilização, de repouso, para que possa, progressivamente, voltar a colocar o pé no chão, fazer os treinos físicos e, no último momento, voltar a treinar com bola, o que não deve acontecer antes de quatro a seis meses, a partir da data da cirurgia”, declarou o médico.
E do volante Fillipe Soutto “O Fillipe Soutto teve uma queda no treino de segunda-feira, fizemos exames inicias que mostraram uma fratura no cotovelo direito, mas estamos aguardando exames que não ficaram prontos para que se possa identificar e ter uma precisão maior quanto à extensão dessa lesão e o tratamento que será feito. Pode ser que o tratamento seja conservador, só com imobilização, mas não podemos descartar a necessidade de procedimento cirúrgico. Essa decisão de tratamento só será tomada a partir dos resultados dos exames que, acredito, estarão prontos em breve”, concluiu Rodrigo Lasmar.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.