quinta-feira, 27 de Março de 2014 06:44h

Galo encontra soluções rápidas para a defesa e ataque

O lateral-direito Alex aproveitou as chances no time reserva do Atlético para mostrar ao técnico Paulo Autuori que tem condição de ser titular da equipe.

No confronto contra o América, no próximo domingo, no Independência, o prata da casa, que já conquistou a confiança do treinador, terá mais uma oportunidade de mostrar serviço.

Com a suspensão de Marcos Rocha, Alex será o titular na ala direita, sua posição de origem. Em vários jogos, ele jogou improvisado do lado esquerdo. “Graças a Deus estou tendo oportunidade, mais na esquerda. Ele (Autuori) confia no meu trabalho. Estou assimilando a cada dia mais e aprendendo. Procuro ajudar a equipe para crescer no clube”, diz o jogador.

Com a goleada por 4 a 1 no primeiro clássico, o Atlético tem ampla vantagem sobre o América. Garante a vaga até com uma derrota por três gols de diferença. “Foi uma vitória importante e é uma grande vantagem, só que sabemos que o América tem uma equipe qualificada.  Não podemos deixar de jogar. Temos que sair com mais uma vitória”, disse o jogador.

Sem lesões para atrapalhar e com sequência na equipe, o atacante Guilherme completou, nesta terça-feira, três anos de Atlético. Ao contrário das últimas temporadas, o jogador vive uma boa fase no clube, que culminou justamente com a chegada do técnico Paulo Autuori, responsável por lançá-lo no profissional, em 2007.
Desde que chegou ao Atlético, no dia do aniversário do clube, em 2011, Guilherme conviveu com várias contusões, que prejudicaram o seu ritmo de jogo. Foram apenas 15 partidas disputadas das 49 feitas pela equipe no período – 30% de participação. No ano seguinte, o percentual aumentou e o atacante foi mais útil, entrando em 40 dos 57 jogos da equipe na temporada (70% de presença). Porém, em 2013, o rendimento caiu novamente e ele participou de somente 29 dos 71 duelos do time.
Agora, as coisas são diferentes e o atacante comemora o fato de estar presente mais dentro do que fora de campo. Dos 16 jogos da equipe no ano, Guilherme participou de dez e marcou quatro gols. “O momento bom se atribui a uma sequência que eu não tinha há muito tempo, de estar à disposição, de ter estado mais em campo. Tinha essa certeza em mim que quando eu conseguisse manter um nível maior de jogos sem lesionar, chegaria a um bom nível”, observou.
O jogador acredita estar em uma das suas melhores fases no clube. “Alcancei um nível que me agrada, mas sei que ainda posso melhorar ainda mais. Porém hoje, sem dúvida, é um dos meus melhores momentos no Atlético”, acrescentou.
Guilherme fez um balanço positivo dos três anos, mas não se esqueceu das contusões, ressaltando que prefere pensar nos momentos felizes no clube. “Única coisa negativa que posso falar é sobre as lesões, que foram algumas. Acho que boa parte eu poderia ter evitado, mas prefiro me apegar aos momentos decisivos, como o Campeonato Mineiro 2012, as semifinais e finais da Libertadores e este ano até aqui”, comentou.
A intenção do atacante é permanecer muito mais tempo no Atlético. “Foram momentos positivos, houve alguns contratempos, mas me apego aos melhores momentos para cada dia fazer o melhor e, quem sabe, ficar mais tempo aqui”, finalizou.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.