sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2012 09:17h Atualizado em 10 de Fevereiro de 2012 às 10:22h.

Galo escalado para enfrentar a Caldense

O técnico Cuca comandou um trabalho tático na tarde desta quinta-feira, na Cidade do Galo, na penúltima atividade antes do jogo contra a Caldense, pela 3ª rodada do Campeonato Mineiro. A diretoria descartou a contração de Obina
A partida será realizada às 17h deste sábado, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas. A equipe treinou com Renan Ribeiro; Marcos Rocha, Réver, Rafael Marques e Richarlyson; Leandro Donizete, Pierre, Escudero e Bernard; Neto Berola e André.
Recuperado das dores na coxa direita, o zagueiro Réver participou normalmente do treino. Já o atacante Danilinho segue em tratamento de um trauma no tornozelo esquerdo. Neto Berola treinou entre os titulares.
André é um jogador que ensaia muitas jogadas de bola parada e sem a filmagem por parte da imprensa. “Temos aproveitado isso ao máximo e uma hora pode decidir um jogo”, falou e esclareceu ser uma chance de jogar com Neto Berola. “Neto cai mais pelas pontas e como no ano passado esperamos que dê tudo certo. Fiz uma boa pré-temporada e agora estou tendo sequencia. Temos de ir para o jogo concentrados e teremos um tempo depois para a parada do carnaval termos a liderança. Tomara que não prejudique ficar tanto tempo sem jogar”, declarou o jogador.
Um dos atletas que mais oferece possibilidades de jogo diferentes é Richarlyson. O jogador pode entrar como volante, zagueiro, meia e lateral. Atualmente jogando pelo lado canhoto, Richarlyson diz que não é um lateral de ofício e que prefere entrar como terceiro zagueiro. “As pessoas que entendem de futebol sabem que eu não sou um lateral, pois se eu fui duas vezes à linha de fundo contra o América foi muito. O Cuca quer que eu sustente a parte defensiva. Eu me propus a fazer isso. Eu prefiro jogar como um terceiro zagueiro do que como um lateral. Entretanto, muitas vezes o treinador prefere uma saída de bola melhor, mais rápida e eu estou tentando me adaptar a esse esquema. Já joguei de meia e de atacante. Sempre procuro dar uma ênfase maior à parte tática”, explicou.
O atleta ainda comenta que o seu posicionamento pode mudar conforme o adversário. Se o time rival entra com dois atacantes, ele passa a jogar como um terceiro zagueiro. “Na verdade, o meu posicionamento depende da forma como a outra equipe entra em campo. Se eles vierem com dois atacantes eu viro um zagueiro. Nesse último jogo eu fiz papel de terceiro zagueiro, pois eles vieram com um atacante centralizado. A minha função era marcar para diminuir os espaços. A minha função é defensiva. O Marcos Rocha fica com os cruzamentos. O Cuca não gosta de jogar com três zagueiros de origem. Ele gosta de jogadores que saem para o jogo”, esclareceu.
Outra peça importante nesse esquema de Cuca é o volante Fillipe Soutto. O jogador admite que tem características ofensivas, mas que, se for preciso, atua marcando mais, ajudando a recompor o meio. “Todo jogador de um grande clube deve estar disposto ajudar a todo o momento. Prefiro atuar como segundo volante que sai mais para o jogo, tendo mais liberdade. Mas nunca se esquecendo de marcar, que também é minha função. Essa é a minha posição e estou apto para jogar e ajudar onde for preciso”, declarou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.