sábado, 14 de Março de 2015 05:55h

Galo perde para a Caldense e mostra fragilidade

A instabilidade e a falta de entrosamento do time do Atlético foram alguns dos problemas apontados pelo técnico Levir Culpi na derrota por 1 a 0 para a Caldense

A instabilidade e a falta de entrosamento do time do Atlético foram alguns dos problemas apontados pelo técnico Levir Culpi na derrota por 1 a 0 para a Caldense, na noite dessa quinta-feira, em Poços, em jogo válido pelo Estadual. O treinador não escondeu a decepção com o futebol apresentado pelo time, que não conseguiu manter o nível de atuação do clássico contra o Cruzeiro, domingo passado.

O treinador pede mais tempo e afirma que instabilidade é o principal problema. “Estamos tristes com o resultado, mas perdemos uma chance com a penalidade, e os jogadores não tiveram controle do gramado, com toque difícil, grama de jardim, muito diferente da que temos jogado. Mas isso não justifica. A Caldense esteve bem colocada em campo e não criamos tantas oportunidades para vencer”, analisou.

A derrota para a Veterana fez o Atlético cair para o quarto lugar, com 13 pontos, quatro a menos em relação ao Cruzeiro, líder isolado do Campeonato Mineiro. Levir reconheceu que tem 'um caminho longo pela frente' para acertar a equipe. No entanto, mostra confiança na recuperação. “O problema é de entrosamento. Os jogadores que substituem os lesionados não têm as mesmas características e precisamos que o time se encaixe. Já tínhamos uma maneira de jogar e entravam poucos jogadores. Além disso, é outro momento, a parte emocional e psicológica estava melhor, e agora é um momento de baixa. E é nesses momentos que temos que ter tranquilidade para nos concentrar e equilibrar. Mas nossa sequência será melhor que isso, vamos voltar à normalidade do ano passado, mas vamos sofrer um pouco agora”, prevê.

Pratto e Rocha

O treinador disse que o atacante Lucas Pratto e o lateral-direito Marcos Rocha, recuperados de problemas musculares, podem voltar ao time contra a URT, domingo, no Independência. Porém, Levir ressalta que o problema de entrosamento pode continuar. “É até possível (escalar Pratto e Marcos Rocha), mas não podemos esperar o entrosamento da temporada passada. Iniciamos com o Pratto, tivemos bons resultados, mas ele se machucou. Mas são situações que vamos usar, sem a referência e também com a referência, que é o Pratto. Mas temos que tomar cuidado, porque os jogadores estão voltando e temos que ter calma”, disse.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.