terça-feira, 21 de Julho de 2015 10:28h

Galo pode perder quatro jogadores de uma vez

O possível empréstimo do meia-atacante Maicosuel e a permanência do lateral-esquerdo Douglas e do volante Rafael Carioca movimentam os bastidores do Atlético no começo desta semana

A diretoria alvinegra tem até esta terça-feira para com fechar com Udinese-ITA e Spartak Moscou-RUS a compra de Douglas e Carioca, respectivamente. O acerto é dado como certo pelo clube. O empresário de Rafael Carioca, Jorge Machado, é aguardado em Belo Horizonte nas próximas horas para sacramentar o negócio, com tempo de contrato e valores salariais. Para ter Douglas Santos, que pertence à Udinese-ITA, o Galo parcelou os 3 milhões de euros fixados pelo clube italiano. A negociação envolvendo Maicosuel também está encaminhada. O Atlético chegou a recusar uma proposta de 1 milhão de Euros do Al-Sharjah, mas os árabes voltaram à carga e ofereceram mais.
A contusão de Luan é outro assunto que desperta o interesse do torcedor alvinegro. O meia-atacante deixou a partida contra o Corinthians após trombar com o goleiro Walter. Ele será reavaliado pelo departamento médico e não deve enfrentar o Figueirense, sábado que vem, no Independência. “Acho que sim [fora contra o Figueirense]. Depende muito dos exames. Não posso falar. Deixa isso para os médicos”, disse o jogador.
Pouco utilizado pelo técnico Levir Culpi nos últimos jogos do Atlético, o meia-atacante Guilherme não esconde a insatisfação com seu atual momento no clube. Após a derrota deste sábado para o Corinthians, o jogador, que entrou no segundo tempo, disse não entender as razões pelas quais vem sendo preterido. “São situações que eu respeito muito, mas não entendo. Enquanto eu não entendo, outros vão jogando. Não é culpa de ninguém, mas eu vou sempre sofrendo motivos. Hoje é isso, amanhã é aquilo”, disse o camisa 17. “Sou feliz no Atlético pelo grupo, pela história que tenho aqui no clube. Mas com a minha situação de campo, não. Tenho história e títulos. Acho que eu poderia ter uma situação melhor”, acrescentou.
Guilherme garante que a negociação frustrada para o Cruz Azul, do México, não tirou sua motivação em defender o Atlético e diz que seguirá trabalhando para recuperar o espaço perdido. “Não tenho o que dizer, tenho que trabalhar firme. A motivação é algo que a gente tem que buscar todo dia, independentemente do clube, de salário e de todas essas coisas. Motivação é algo extra a isso. Tem que procurar buscar nesses poucos minutos que eu tenho, principalmente com o time perdendo. Infelizmente, hoje [sábado], não pude ajudar”, explicou.
Questionado sobre a possibilidade de deixar o Galo ainda neste ano, o meia-atacante deixou seu futuro em aberto. “Não acredito que sim, não acredito que não. Não sei o que vai acontecer. Futebol é muito dinâmico. Se eu continuar tendo oportunidade e for produtivo, sem dúvida é difícil segurar, brevemente consigo voltar a ser titular. Mas jogando um jogo sim, outro não, fica mais complicado. Tudo pode acontecer”, ponderou Guilherme.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.