quarta-feira, 18 de Dezembro de 2013 05:53h

Galo pronto e motivado para a estreia no Mundial de Clubes FIFA 2013

A vitória do Raja Casablanca sobre o Monterrey, nas quartas de final do Mundial de Clubes, pegou muitas pessoas de surpresa, principalmente os jogadores do Atlético, que previam um duelo com os mexicanos na semifinal desta quarta-feira, às 17h30 (horário de Brasília), em Marrakesh. A retranca do time marroquino e a rapidez dos contra-ataques chamaram a atenção dos alvinegros, que enxergam uma partida complicada por conta das características do adversário.
Para furar o bloqueio do Raja, o goleiro Victor afirmou que o Atlético não pode mudar o estilo de jogo e precisa ter muita paciência. “É um time bom, que se defende bem e sai rápido no contra-ataque, mas não podemos abdicar do que estamos acostumados, que é pressionar adversário. É isso que a gente sabe fazer e é isso que a gente vai fazer”, comentou.
Com vários jogadores de qualidade no elenco, o alvinegro também poderá usar a técnica de Ronaldinho, Tardelli e Fernandinho para abrir a defesa dos africanos. “É uma equipe que joga fechado, fica com a bola no pé e dificilmente dá um chutão. Vamos ter que usar a qualidade de cada um para tentar furar a retranca”, destacou Diego Tardelli.
Diante das dificuldades de atuar contra um time que joga atrás da linha da bola, o atacante Jô acredita que a partida será complicada. “Todo mundo achou que ia ser o Monterrey, mas foi o Raja que passou. Então, temos que tomar bastante cuidado porque não vai ser um jogo fácil”, observou.
Ronaldinho Gaúcho garante estar cheio de motivação. “A motivação é a de conquistar esse título e poder levar o nome do Atlético ao lugar mais alto do futebol. A motivação é fora do normal e estamos muito preparados para este jogo”, afirmou Ronaldinho na entrevista coletiva que concedeu no final da manhã desta terça-feira, no hotel em que a delegação atleticana está hospedada em Marrakech, no Marrocos.
A estreia do Galo no Mundial acontece às 17h30 (Hora de Brasília) desta quarta-feira, contra o Raja Casablanca, no Le Grand Stade de Marrakech. “Meu sonho era fazer história no clube e, agora, veio essa possibilidade de levar o nome do Atlético mais longe ainda e a motivação é essa. Estar mais motivado é impossível. Desde que cheguei ao Atlético, vivi um ano e meio maravilhoso, mas, agora, quero fechar com chave de ouro”, disse o craque alvinegro.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.