quinta-feira, 23 de Outubro de 2014 04:57h

Galo sofre empate e perde Tardelli para o confronto contra o Sport

O Atlético alcançou a 3ª colocação do Campeonato Brasileiro ao empatar com o Bahia por 1 a 1, na noite desta terça-feira, na Arena Fonte Nova, em Salvador

A partida foi válida pela 30ª rodada. O gol alvinegro foi marcado por Luan, com Guilherme Santos descontando para o time baiano.
Com a igualdade na capital baiana, o Galo chegou a 51 pontos. O time alvinegro dominou o jogo, teve diversas oportunidades para ampliar o marcador quando vencia por 1 a 0 e acabou sofrendo o gol de empate nos minutos finais. Na próxima rodada, o adversário será o Sport, às 18h30 deste sábado, na Arena Independência.
O técnico, Levir Culpi, avaliou que o Atlético pagou um preço caro por desperdiçar muitas chances de gols.  Para ele, o seu time foi superior ao adversário, mas falhou ao não "matar o jogo". "Foi mais ou menos um castigo porque o jogo ficou muito aberto, principalmente no primeiro tempo, mas, depois, dominamos a partida, criamos as melhores oportunidades e poderíamos ter vencido. Pagamos o preço por não matar o jogo. Matematicamente, o resultado foi muito ruim, mas, pelo empenho dos jogadores, merecíamos um resultado melhor”, analisou o treinador.
Levir lembrou que após abrir o placar com Luan, o Atlético tinha o jogo sob controle, mas acabou cedendo a igualdade aos 39 minutos do segundo tempo, com o gol marcado por Guilherme Santos. "Criamos as situações, não finalizamos com perfeição e, por isso, pagamos esse preço", acrescentou Levir.
O empate deixou o Galo em terceiro lugar no Brasileirão com 51 pontos, mas o time pode ser ultrapassado nesta quarta-feira, no complemento da 30ª rodada, por Internacional e Corinthians. A equipe volta a entrar em campo no próximo sábado, no Independência, diante do Sport.
Para esse duelo, o Atlético perdeu o zagueiro, Edcarlos, e o atacante, Luan, suspensos pelo terceiro cartão amarelo, e o também atacante, Diego Tardelli, que cumprirá suspensão automática pela expulsão no jogo com o Bahia. Além disso, o meia, Guilherme, que foi substituído na partida de terça-feira por causa de dores na coxa direita, é dúvida para o confronto.
Levir, porém, evitou lamentar os mais novos desfalques do Atlético. "Isso já faz parte do trabalho desde o início, não fico preocupado, vamos escalar um time capaz de vencer. Não lamento as ausências porque tenho que me apoiar naqueles que podem jogar", comentou.
A expulsão do atacante, Diego Tardelli, no final da partida contra o Bahia, nessa terça-feira, pode gerar problemas futuros para o jogador e, consequentemente, para o clube. Isso porque o árbitro, Elmo Alves Resende Cunha (GO), não aliviou ao relatar os xingamentos do atacante na súmula. “Expulsei com cartão vermelho direto de campo de jogo aos 45 minutos do segundo tempo, o atleta de número 9, Sr. Diego Tardelli Martins, da equipe Clube Atlético Mineiro, por ter me ofendido moralmente com as seguintes palavras: ‘Você é um m..., seu m..., seu m...! Desde o primeiro tempo você só complica! Seu fraco!’ Após a expulsão, o atleta em pauta continuou dizendo as seguintes palavras: "safado, safado, safado, seu m...!’, fato ocorrido logo após a marcação de uma falta contra sua equipe", escreveu.
O lance que causou indignação no atacante atleticano ocorreu aos 45 minutos do segundo tempo. Após um cruzamento da direita, Tardelli empurrou o adversário e depois mandou a bola para as redes. O juiz, no entanto, invalidou o lance de maneira acertada.
Após a partida, Tardelli admitiu que estava de 'cabeça quente'. “Falei depois que ele me expulsou. Falei um monte de coisa, que ele era ruim, era isso. Enfim, me expulsou porque não achei justo. O cara tinha se jogado, o número oito, além de tudo ele é forte, valorizou e acabou se jogando e eu tinha feito o gol. De cabeça quente a gente acaba falando um monte de besteira, mas faz parte do futebol”, disse.

 

 

 

Punição
Titular da Seleção Brasileira, Tardelli deverá ser julgado por ofensa e por desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões. A pena vai de um a seis jogos de suspensão, além de multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.