quarta-feira, 20 de Julho de 2011 10:04h Luciano Eurides

Goleiro do Cruzeiro é flagrado no antidoping

O goleiro Rafael, do Cruzeiro, hoje reserva imediato de Fábio, foi flagrado no exame antidoping na partida entre a Raposa e o América-TO pelo campeonato mineiro. A Federação Mineira de futebol homologou na segunda-feira a contraprova no exame. A partida foi realizada no dia 1º de maio, na segunda partida válida pelas semifinais do estadual.


Segundo o laudo de dopagem,o material foi examinado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e apontou a presença da substância predinisona, geralmente encontrada em um colírio oftalmológico


O médico do Cruzeiro, Sérgio Freire Junior, explica que o uso do medicamento foi autorizado. Contudo, o organismo do atleta absorveu excessivamente a substância."É um corticoide, cujo uso é permitido, desde que seja em uso tópico (pomada, colírio). Ela não é permitida em uso oral, muscular, venoso, ou seja, o uso sistêmico. Desta forma, como o resultado do exame (antidoping) do Rafael deu uma concentração muito alta da predinisona, foi considerado como resultado positivo", disse o médico e justificou. "Desde o dia 18 de abril ele estava fazendo o uso desse medicamento, por uma avaliação oftalmológica, diagnosticada uma conjuntivite bacteriana, junto com uma inflamação na pálpebra. Dessa forma, foi prescrito esse medicamente como o próprio controle de doping permite, autoriza esse uso. Ele estava usando desde a consulta, por uma prescrição médica, e o que fez com que o resultado desse positivo, realmente, foi a alta concentração no exame. Isso, por algum motivo, ou o organismo dele absorveu demais essa substância, ou não teve condições de eliminar, então a concentração foi mais elevada do que o habitual", afirmou.
 

O julgamento do caso deve acontecer nos próximos 30 dias. Por enquanto, Rafael segue liberado para atuar pelo Cruzeiro.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.