terça-feira, 16 de Fevereiro de 2016 08:58h Atualizado em 16 de Fevereiro de 2016 às 09:05h. Luciano Eurides

Guarani arranca um ponto diante do Galo e tem sequência de jogos longe de Divinópolis

O Guarani entrou em campo no último sábado, diante do Atlético, no Farião, pela terceira rodada da fase de classificação do Campeonato Mineiro

Empatou em 0x0, mas jogou bem e arrancou um ponto diante de um dos grandes times do futebol e atual vice-campeão brasileiro. O Galo, com um time totalmente reserva, estava com prioridade na Libertadores da América. O time de Divinópolis enfrenta na sequência o Tupi, em Juiz de Fora, e o Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

 

 

Em uma análise geral, o resultado foi bom para os dois times. O Guarani, que arranca quatro pontos em confrontos com os grandes times de Belo Horizonte, venceu o América e empatou com o Atlético. Já o Galo, que jogou com um time reserva, empatar fora de casa também não foi ruim.

 

 

O torcedor esperava um jogo mais movimentado, embora os dois times tenham desenvolvido um futebol burocrático, sem riscos. O Guarani levou mais perigo ao gol adversário, no primeiro tempo, Carlos Renato disputou e ganhou a bola de Edcarlos, chutou desequilibrado e Giovanni saiu do gol, tocou na bola e ela voltou na cabeça do meia divinopolitano. O Bugre obrigou Geovanni a fazer outra importante defesa, quando na bola jogada na área por Felipe Caldeira, a defesa do Atlético afastou e saiu, o zagueiro Lula devolveu para a área do Atlético e Marcos Vinícius apareceu na frente, o goleiro e a arbitragem assinalavam impedimento. No segundo tempo, uma bola de Iago, outra de Jhonatan, forçavam a entrada na pequena área, uma delas, Giovanni, no chão, deu rebote e Júnior Barros chegava na cara do gol, mas milimetricamente o zagueiro salvou.

 

 

O meia Jhonatan acredita que a equipe está no caminho certo. “Mostramos a força que temos dentro de casa, teremos a semana inteira para trabalhar e descansar, o mais importante é manter a força dentro de casa. Faltou um pouco mais de capricho no chute final, não é toda vez que vai dar certo. Na próxima, o gol sai”, falou.

 

 

Na avaliação do treinador, Ricardo Leão, o Guarani foi melhor. “Temos que valorizar, além de ser contra o Atlético, que veio com uma proposta claramente para levar um empate, ou jogar por uma bola e, assim, na qualidade e força do Atlético, com os dez postados atrás da linha da bola, fica realmente difícil encontrar os espaços e mesmo assim criamos as situações e ter tranquilidade para não sofrer os contra-ataques. Temos de valorizar esse ponto, sabemos que o campeonato é difícil e ainda temos de recuperar os três pontos perdidos na terça-feira de carnaval, fora de casa, mas estão de parabéns, segue a caminhada e usar essa semana para se preparar para o jogo. Todas as equipes tiveram uma semana para se preparar, o Guarani teve que fazer três jogos em dez dias e com viagem. Tempo para se recuperar e preparar para enfrentarmos as outras equipes”, comentou o treinador, que tem pela frente o Tupi, no Estádio Radialista Mario Heleno, em Juiz de Fora, depois o Uberlândia, no Parque do Sabiá, Triângulo Mineiro. Somente em Março, o time volta a se reencontrar com a torcida, Farião, para encarar a URT.

 

 

Para a semana de trabalho, o departamento médico tem a recuperação do atacante Marcos Vinícius, ele saiu com uma lesão no tornozelo esquerdo. No jogo, ele foi substituído por Júnior Barrros, reserva imediato dele, mas ainda o treinador Ricardo Leão tem a opção de Marcel.

Na partida, o destaque do Atlético foi a vinda de Pedro Henrique, este garoto de 16 anos, natural de Itaúna, jogou no Vasco da Gama de Divinópolis e em Lavras. Conhece a cidade e certamente já despertou os olhares de Diego Aguirre. Pelo Guarani, a presença no banco de reservas do meia Jonas Marques, jogador revelado no Flamengo do Mendes Mourão e esteve no sub 17 do Guarani na disputa da Taça BH 2015.

 

 

Diego Aguirre
O treinador do Atlético ressaltou o empenho dos jovens que atuaram. “Foi um jogo muito difícil. Acho que o empate foi bom, porque nenhum dos dois mereceu a vitória, eles tiveram chance, nós também. Dá para destacar a atitude e a entrega dos jogadores. Fiquei contente com a resposta deles, com o que apresentaram”, analisou Aguirre. “Acho que o empate não foi ruim, continuamos invictos no campeonato e, no futuro, poderá será importante”, acrescentou o técnico uruguaio.

 


Outros jogos
Caldense e Uberlândia se enfrentaram em Poços de Caldas em um duelo de alviverdes. Quem se deu melhor e saiu de campo com mais três pontos foi a equipe do Triângulo Mineiro. O placar de 2 a 0 foi construído com gols de Mikael, no fim do primeiro tempo, e Caio Dantas, na segunda etapa.
Quem também se deu bem longe dos seus domínios foi a URT, que venceu o Boa por 2 a 1, em Varginha. O time de Patos de Minas largou na frente do marcador com o gol de Alex Murici, aos 15 minutos de jogo. Romário empatou para o Boa Esporte antes do fim do primeiro tempo. Na etapa final, quando o empate parecia certo, Alexsandro marcou aos 49 do segundo tempo e deu a primeira vitória para a URT no campeonato.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.