terça-feira, 15 de Fevereiro de 2011 00:00h

Guarani é derrotado em casa e perde a liderança do Campeonato Mineiro


Luciano Eurides

O Bugre divinopolitano teve sérias dificuldades no jogo com o Uberaba na tarde de domingo no Waldemar Teixeira de Faria. O resultado de 2x1 para a equipe do Triângulo tirou os visitantes de uma má sequência e deixou o Guarani na terceira colocação. O pensamento da equipe do centro oeste se volta para o grande desafio do próximo domingo, enfrentar o Atlético.

O Guarani veio a campo sem surpresas, o treinador José Ângelo manteve a equipe vencedora da última partida em Governador Valadares. O comandante do Uberaba Marcus Birigui montou um time no 3-5-2, sendo uma formação para segurar o time na defesa e tentar surpreender os donos da casa.

A equipe divinopolitana começou melhor, com cinco minutos de jogo Thiaguinho ganhou uma bola em velocidade e chutou forte, a bola desceu rápido e quase surpreendeu o goleiro Fernando. O bom momento foi interrompido logo no primeiro lance de perigo do Uberaba, que aos sete minutos abriu o placar. Na cobrança de falta, desatenção da defesa divinopolitana e o zagueiro Rodrigo Paulista cabeceou, a bola tocou no travessão e entrou. O Guarani respondeu com Thiaguinho, mas a bola foi para fora.

O Bugre sentiu o gol e não conseguia sair da marcação forte estabelecida pelo Zebu. As tentativas de bolas aéreas na área adversária não surtiam efeito e por outro lado, os cruzamentos feitos pelo Uberaba eram de grande perigo à meta divinopolitana. Aos 30 o Guarani já entrava no ritmo de jogo. Chico Marcelo chutou a bola no defensor e conseguiu uma boa sequência de escanteios, mas que não tiveram aproveitamento.

O Bugre queria levar o empate para os vestiários e preparava uma saída de bola pela esquerda, onde Fernando Bahia estava em uma tarde de boa apresentação. Esta solução não foi suficiente. Aos 45, bobeira geral da defesa divinopolitana e Cadu encheu o pé, sem chances para o goleiro Fred, aumentando o placar. Um péssimo resultado em casa, e os jogadores foram para os vestiários com muita confiança em uma reação.

Na segunda etapa o Guarani voltou melhor. O treinador José Ângelo tirou Jairo e colocou Robert, na primeira oportunidade do jogo ele acertou o poste e deu mostras que o Bugre viria em busca do resultado. O gol não acontecia, enquanto as chegadas da equipe do Triângulo Mineiro obrigavam o goleiro Fred a fazer grandes defesas. O treinador mudou o time, tirou o ala esquerda Fernando Bahia e colocou o atacante Bruno Fogaça, assim Chico Marcelo passou a fazer a vez de ala. O meia Luiz Fernando chegou fazer uma grande jogada e tocar para trás, mas a defesa adversária interceptava todas as bolas. Em uma delas ele jogou para a área, Thiaguinho tocou e Fogaça por muito pouco não completou para o gol. Thiaguinho teve outra grande oportunidade e desta fez parou nas mãos do bom goleiro Fernando. O goleiro estava em uma tarde de grandes defesas, já feitas também com a camisa do Bugre. Fernando impediu por duas vezes que Thiaguinho fizesse o gol.

Ainda em busca do gol o treinador José Ângelo tirou Chico Marcelo e colocou Juninho, com isso Felipe foi para a esquerda, Gilvan foi para a zaga e o time ficou com três atacantes (Thiaguinho, Bruno Fogaça e Juninho). Na primeira tentativa de Juninho ele tentou surpreender Fernando, o goleiro foi mais esperto. Já Luiz Fernando invadiu a área, cruzou a bola, ela desviou no zagueiro e Fernando ia sendo pego no contra pé, mas se recuperou e fez uma grande defesa.

Aos 42, o Guarani inicia a reação. Falta na área e Luiz Fernando colocou na cabeça de Felipe. Ele cabeceou forte e Rodrigão fez contra diminuindo o marcador. O jogador Felipe comemorou muito, aproveitou para homenagear a esposa Renata, grávida de Sophia. Ela está no oitavo mês de gestação.

Restava ao Bugre seis minutos, pois o árbitro já assinalava três minutos de tempo recuperado. Porém não foi o suficiente e o resultado negativo quebra uma excelente sequência de vitórias.

Para o jogador Nilson Sergipano esse jogo foi atípico. “Pecamos nas finalizações, as oportunidades que eles tiveram conseguiram concluir e vamos trabalhar corrigir os erros. Esperamos não errar tanto, e vamos continuar dando o máximo”, falou.

Gustavo, ex-jogador do Guarani, e que hoje defende o Uberaba, ajudou a equipe dele a conquistar os três pontos, falou do carinho por Divinópolis. “O Guarani estava embalado, e conseguimos suportar a força do Guarani. Eu e o Fernando tivemos boas passagens por aqui. Eu agradeço a vocês, são gente boa demais. Tenho de agradecer o carinho, os aplausos”, disse.

O treinador Marcus Birigui saiu vencedor e disse estar a frente do Uberaba a bastante tempo e conhecer os atletas dele. “Uma equipe que acreditou, não esmoreceu em momento algum, sabíamos que iríamos encontrar uma equipe motivada, em um estádio totalmente lotado, todo clima favorável a eles. Nos superamos, fizemos uma boa partida e temos de enaltecer o grupo, a união dentro de nosso plantel”, considerou.

José Ângelo treinador do Guarani assumiu a culpa pela derrota. “O Guarani não fez uma má partida, o Guarani teve no mínimo oito oportunidades que não pode perder. A responsabilidade da derrota é minha, é da minha comissão técnica. Quando um time joga como jogamos e a bola não entrou. Erramos na bola parada e no posicionamento.

Foram dois erros capitais e por isso deixamos de ganhar o jogo. Não tivemos competência para colocar a bola para dentro”. Para o treinador é momento de avaliar ainda questões ocorridas dentro do jogo contra o Uberaba. “Hoje é dia para fazermos uma análise bem completa dos erros que tivemos dentro do jogo. Não podemos de forma alguma deixar de corrigir”, disse.

Ainda o comandante técnico do Bugre falou da qualidade do adversário. ”Eles correram, não tiro o mérito deles, mas fomos dispersos. Na hora da finalização não podemos sair de frente para o gol e perder os gols. Faltou equilíbrio e decisão. O resultado poderia ser outro”, avaliou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.