terça-feira, 24 de Novembro de 2015 08:34h Atualizado em 24 de Novembro de 2015 às 08:48h. Luciano Eurides

Guarani e Nacional se enfrentam na final da Copa Super Craque

Guarani e Nacional se enfrentam na final da Copa Super Craque

O time do PEC Candelária perdeu dentro do Caldeirão do Diabo, por 1x0, o gol do Bugre foi marcado por Henrique. O Bela Vista ficou no empate com o Nacional, pelo placar de 1x1, nos pênaltis, a equipe de Astrogildo Duarte venceu por 4x3.
No bairro Candelária, o Guarani venceu o jogo, foi melhor, eficiente na substituição, enfim, teve um melhor plano de jogo. O PEC se apresentou muito bem, teve um equilíbrio, mas o preparo físico foi determinante. O time da casa teve Gustavo Da Pinta expulso ainda no primeiro tempo. Capitão do time, exerce uma liderança no grupo, fez falta em todo restante da partida. Os comandados de Amaury Reis se empenharam ao máximo, por isso, tiveram um desgaste maior.
O Guarani tentava encaixar as jogadas treinadas, rápidas, pela beirada, especialmente pela direita, mas a marcação era eficiente. A entrada de Henrique no final do segundo tempo mudou a história de um jogo que já se encaminhava para as cobranças de penalidades. Com velocidade e qualidade, driblou três e tocou na saída de Marcos Vinícius, fez o único gol do jogo.
Sem conhecer o adversário da final, o artilheiro do jogo, Henrique, falou da partida, do gol e da expectativa da grande final. “Foi difícil pela capacidade dos dois times, já imaginava dificuldades, mas não tantas, e tive a felicidade de entrar e fazer os gols. O treinador me mandou entrar mais pela beirada e tentar decidir, organizando a equipe e, com a bola, ir para cima. Sempre esperamos jogos difíceis e seja quem for (Nacional ou Bela Vista), conhecemos os dois e acho que dá para buscar a vitória”, garantiu.
O treinador Marco Túlio ressaltou a boa atuação da equipe, que soube jogar no campo adversário. “O campo tem um lado menor que o outro e sabíamos que seria truncado e optamos em atacar pelo lado mais curto. A expulsão do jogador deles ajudou e treinamos isso, falamos para se ganhar no sorteio, atacar pelo lado menor, deu certo, foi um bom jogo. Imposição, não deixamos eles finalizarem de dentro da área e nenhum a gol, finalizamos entre dez e quinze vezes”, analisou.
Em relação ao jogo da final, não se tinha conhecimento de que o Nacional era o finalista. Disse que ambas têm o mesmo método de jogo. “Os dois times jogam e deixam jogar, qual vir vai ser um bom jogo, na verdade, foram quatro grandes times nas semifinais”, considerou.
Em Claudio, o Bela Vista não conseguiu a vitória em casa, ficou no empate em 1x1 com o Nacional. Nos pênaltis, o Nacional levou a melhor, fará a final, sendo dele o mando de campo no primeiro jogo e decidirá fora de casa. Segundo Orlando Rosca, houve já a manifestação para a partida ser realizada em Nova Serrana, na noite de sexta-feira, dia 27 e a final no domingo dia 5.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.