terça-feira, 26 de Fevereiro de 2013 05:51h Luciano Eurides

Guarani perde para o Vila e encara a zona de rebaixamento

O Guarani fez seu terceiro jogo no campeonato mineiro. Depois de uma estreia com um empate fora de casa, segurar o Cruzeiro dentro da Arena do Calçado, uma partida apática marcou a primeira derrota do Bugre na competição estadual. Tchô marcou o único gol da partida. Foi o melhor em um jogo onde ninguém mostrou um futebol de encher os olhos.
O Guarani sofreu o gol muito rapidamente, aos quatro minutos de jogo Tchô aproveitou a falha coletiva do sistema defensivo do Guarani e chutou para abrir o placar e foi este o lance especial de toda a partida. O Guarani não sentiu o gol sofrido, teve tranquilidade, tocou a bola e errou muitas vezes. Saia com a bola, fazia a linha de fundo e se errava o cruzamento. Rafael Estevan, não esteve bem, Iago entrou e melhorou o setor. A criação de jogadas era interessante e o ataque não conseguia sequer obrigar Tiago Braga a fazer uma defesa difícil.
O segundo tempo não foi diferente do primeiro, a principal mudança esteve na entrada de Eric, voltou a dar fôlego novo ao ataque do Bugre, teve a melhor chance do jogo e a chutou por cima do travessão. O jogador avalia a partida. “Erramos o último passe e também sofremos um gol com três minutos de jogo, o que não poderia ter tomado, mudou toda nossa dinâmica, tivemos de correr atrás do placar o tempo todo, mas é isso mesmo, trabalhar durante a semana que final de semana temos o Atlético. Hoje não foi o bom dia para a gente, e empenho foi o mesmo que o jogo do Cruzeiro. O time deles é que marcou bem, as chances de gols não foram tantas. Vamos trabalhar bastante, a derrota foi dura, mas não podemos ficar nessa”, declarou.
Na avaliação do treinador o Guarani foi insuficiente. “Temos nossas limitações e vamos trabalhar para diminuir essa distancia que existe em relação a alguns adversários, não tivemos poder de definição no jogo. No final, já sem organização e com muita pressa não conseguimos nem empatar o jogo. Foi um jogo diferente de todos os outros. O Vila teve a felicidade e aproveitou o erro nosso. Tem que dar méritos ao adversário, e fomos incompetentes em não conseguir nem mesmo empatar, vamos procurar saber se essa insuficiência é técnica individual ou se podemos ainda criar outras alternativas. Nosso modelos de jogo, pelas características de nossos jogadores, seja interessante esse jogo contra o Atlético”, falou Leston Júnior. 
Uma das modificações do treinador foi entrar com Jajá como titular no lugar de Carlos Júnior. Nas alterações foi obrigado, por lesão, a substituir Rafael Estevan por Iago. Depois colocou em campo Eric, normal pelos últimos jogos e treinos e ainda Éder Silva e não Carlos Júnior, como o jogador foi titular em todos os jogos treinos, e nas duas partidas oficiais, ficou a duvida sobre uma lesão, fato descartado por Carlos Júnior. “Não senti nada não, foi opção do treinador e agora é trabalhar para voltar para o time, é um grupo de muita qualidade, e respeito o treinador. Ficar de fora sofre demais”, falou.

 

PÚBLICO E RENDA


O Guarani levou 781 pessoas a Arena do Calçado para o jogo Guarani x Villa Nova e R$15.780,00 foi a renda. A média de público em 2012 foi 1.212 pagantes. Contra o Villa Nova, em 29 de janeiro de 2012, pela primeira rodada do Campeonato Mineiro foram 1631 pagantes com uma renda de R$25.695,00.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.