terça-feira, 23 de Fevereiro de 2016 11:16h Atualizado em 23 de Fevereiro de 2016 às 11:21h. Luciano Eurides

Guarani se reapresenta após perder mais uma fora de casa

O Guarani de Divinópolis jogou e perdeu pela quarta rodada do Campeonato Mineiro 2016. A partida frente ao Tupi, na cidade de Juiz de Fora, teve dois momentos distintos

O Bugre melhor e pior. O resultado de 3x1 dá ao Carijó os três primeiros pontos na competição. O próximo adversário da equipe divinopolitana é o Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

 

 

Em Juiz de Fora, os tempos regulamentares marcaram um Guarani na primeira etapa bem em campo, teve dificuldade com a saída de Carlos Renato, por lesão, mas Romário logo se encaixou e, com um gol de Lula, o time se mantinha vitorioso. Na segunda etapa, quem jogou foi o Tupi. Erros em curto espaço de tempo deram a vitória para equipe da Zona da Mata. O atleta Genalvo ainda foi expulso, com um jogador a menos, fora de casa e sofrendo três gols em sequência, o Tamanduá sentiu o golpe.

 

 

Na opinião do lateral Iago, houve um apagão na equipe. “Houve um apagão no segundo tempo, conforme foi contra o Tricordiano, temos ainda outro jogo difícil, contra o Uberlândia”, alertou à reportagem da Rádio Divinópolis AM. Da mesma forma, o zagueiro Murilo completou, “temos que absolver essa derrota, temos outro jogo fora de casa, necessário ter calma, ver o que devemos fazer em sequência”, declarou.

 

 

 

Na análise do treinador Ricardo Leão, durante a entrevista coletiva, houve uma queda de rendimento da equipe do Bugre e que o time perdeu para os próprios erros. “Perdemos para nós mesmos, o Tupi teve uma postura mais ofensiva e, mesmo quando estávamos ganhando o jogo, entregamos em contra ataque. Tínhamos que contra atacar. Mesmo assim, tentamos jogar, mas o sentimento de revolta e indignação é que entregamos a vitória para o Tupi”, disse.

 

 

Ele entende que os erros foram cruciais. “Nós, todo mundo, em algumas situações não poderíamos ter ocorrido, como no primeiro gol, e daí o segundo e o terceiro. O técnico pede, os jogadores estavam tentando, não culpo ninguém pela derrota, o responsável sou eu”, definiu e alertou que haverá cobranças. “Só não podemos tornar nosso ambiente de trabalho um inferno e esse sentimento de derrota é o que vai nos motivar no trabalho. Falha individual faz parte do futebol e vai existir sempre, não tem como impedir que elas aconteçam, vamos trabalhar e ter uma concentração maior”, avisou.

 

 

A situação do meia Carlos Renato será investigada pelo departamento médico e uma evolução para definir se ele terá ou não condições de jogar contra o Uberlândia. Caso venha a ser vetado, há opção por Romário, que inclusive ganhou elogios do treinador Ricardo Leão. “Um jogador a menos e precisava recompor o poder de marcação, mesmo assim, o Tupi não conseguiu ficar girando a bola, não vi uma equipe entregue dentro de campo”, analisou. Outra possibilidade é com a volta de Marcos Vinícius, a manutenção de Júnior Barros no meio campo, para isso, Jhonatan Oliveira se deslocaria para a função de Carlos Renato. Para o lugar de Genalvo, que cumpre suspensão automática, deve mesmo jogar Denilson.

 

 

 

Outros jogos
Em Patos de Minas, URT e Tombense se enfrentaram no Zama Maciel, e empataram em 1 a 1. Na etapa inicial, Rodrigo Possebon saiu do banco de reservas e, com menos de 30 segundos em campo, abriu o placar para o Trovão. Quando o jogo já se encaminhava para o fim e a vitória da URT parecia certa, Daniel Amorim, aos 47 do segundo tempo, empatou o confronto para o time de Tombos.
Quem também teve motivos para comemorar neste domingo foi a torcida do Uberlândia.  O alviverde do Triângulo Mineiro segurou a pressão do Villa Nova e venceu o Leão do Bonfim por 1 a 0. Com 31 minutos do primeiro tempo, Wellington Melo marcou o único gol do confronto e colocou o Uberlândia no G-4.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.