sexta-feira, 4 de Março de 2011 00:00h

Guarani terá um carnaval cheio de trabalho

Luciano Eurides

O Guarani de Divinópolis é sexto colocado no Campeonato Mineiro, foram duas vitórias, duas derrotas e um empate e ganha um tempo para fazer o balanço e aprimorar a equipe para a reta final de classificação. O time fará um jogo treino na Cidade do Galo no próximo sábado e não terá folga de Carnaval.

A equipe iniciou de forma meteórica. Goleou o Ipatinga, venceu o Democrata em Valadares e iniciou uma fase de tropeços. O primeiro foi contra o Uberaba em casa e o segundo frente o Atlético, também no Farião.

A última partida foi um empate em Nova Lima, contra o Villa Nova em uma partida difícil. O primeiro desafio do treinador José Ângelo será fazer a equipe iniciar bem a partida, como foi nos dois primeiros compromissos. Contra o Uberaba não fez um bom jogo, a apatia perdurou até a partida contra o Galo, quando o time só acordou no segundo tempo. Em Nova Lima, o time começou eletrizante, com dois minutos fez o gol. Sofreu o empate e a virada e somente na segunda etapa conseguiu se encaixar em campo.

O tempo será um bom parceiro para o Bugre. O time tem Fred e Jairo em recuperação e ainda poderá treinar exaustivamente para o compromisso frente o América, líder do Campeonato Mineiro. Pelo lado positivo ficaram as estreias de Thiago Régis, Robert e Lima, eles se tornaram uma boa opção para o treinador.

O grupo cresce dentro da competição. A regularização de Bruno Fogaça, as boas atuações de Chico Marcelo e Juninho, ainda Thiaguinho, só não iniciou o jogo contra o Villa, deixa em aberto uma posição no ataque do Bugre.

O treinador José Ângelo falou sobre esse período de recesso da competição. “Acho que nós fizemos um grande jogo contra o Villa. Tivemos um procedimento muito bom dentro de campo, poderíamos ter saído com um resultado melhor se não fossem os gols que deixamos de fazer, esse tempo nós iremos colocar uma carga física pesada e faremos um jogo treino contra o Atlético, não vamos tirar o pé do acelerador, pois pensamos é no jogo contra o América.

Não teremos folga no Carnaval, temos de mostrar profissionalismo, vamos buscar um resultado positivo contra o líder. Eles não estão na liderança por acaso e sim com muito mérito. Temos tudo para envolver o América”, disse.

O comandante técnico ressaltou a necessidade de se acertar a finalização. “Contra o Uberaba deixamos a desejar, nos gols que deixamos de fazer. Contra o Villa deixamos de ser precisos na hora certa.

Estamos deixando a desejar na batida da bola, olhar o posicionamento do goleiro e poderíamos ter saído com um placar que nos deixaria no G4”, falou.

Com respeito à arbitragem, o treinador sugeriu a união do interior em busca de um equilíbrio. “Eu disse estar na hora do interior se unir e ir para a Federação. Não podemos ficar calados. A união faz uma força esplêndida. O Guarani vem sendo prejudicado e defendo o interior de todo jeito.

Não podemos ser prejudicados dentro de casa como fomos no jogo contra o Atlético. Em Nova Lima o árbitro não deixava meu time jogar. Queremos um interior forte e unido”, ressaltou.

José Ângelo destacou a importância de um time equilibrado nos dois tempos. “O que não podemos é ficar nervosos. Não podemos ser um time de um tempo só. No segundo tempo fizemos melhor. Qual time vai dentro de Nova Lima com cinco alterações e três atacantes? Surpreendemos e poderíamos fazer dois a zero no início do jogo e definir e deixar o nervosismo para o adversário”, considerou.

Nos pontos positivos o treinador destacou as boas atuações mesmo dos mais jovens. “Eu fico satisfeito quando coloco os meninos para jogar e eles dão resposta. O Thiago (Régis) não me preocupava em momento, sabia desde a quarta-feira. Ele vinha fazendo ótimos treinos e jogos treinos. O Lima também vinha tendo uma desenvoltura nos treinos muito grande. Como outros garotos que esperam a oportunidade”, analisou.

O momento é de preparação. Robert está com o pensamento voltado para o jogo contra o América. “Agora é pensar no América que é uma partida importante para voltarmos ao G4 e dentro de casa com a torcida nos apoiando vamos buscar os três pontos, pois o América não é nenhum ‘bicho papão’.

A arbitragem nos prejudicou contra o Villa, pois no primeiro tempo distribuiu muitos cartões amarelos para o nosso time e no segundo acho que o juiz colocou a cabeça no lugar e conseguimos empatar e tivemos a chance de virar.

Os jogadores do Villa falavam, cuspiam e davam porrada sem bola e o juiz não falava nada, a gente fazia alguma coisa ele chamava a atenção falando que iria colocar para fora. Agora é pensar no América”, avaliou.

América

O América venceu o jogo-treino contra o Villa Nova, por 2 a 1, na terça-feira no CT Lanna Drumond. Thiago Silvy e Nando, um em cada tempo, marcaram para o Coelho, enquanto Vinícius descontou para a equipe de Nova Lima.

O treino serviu para que o técnico Mauro Fernandes pudesse observar jogadores que têm jogado pouco e outros que ainda não tiveram oportunidade na equipe principal. “Além dos jogadores que não vem tendo oportunidade, o jogo-treino também foi bom para os meninos que vieram da base, para eles treinarem com os profissionais”, avaliou o técnico Mauro Fernandes, que gostou da movimentação da equipe.

O técnico só não gostou mesmo da interrupção do campeonato para o carnaval. Segundo ele, a paralisação compromete a parte física e, especialmente, o ritmo da equipe. “A parada atrapalha.

A equipe está vindo em um ritmo bom, que será interrompido. Se tivéssemos um jogo na sequência, poderíamos aproveitar o efeito da vitória no clássico, que já ficará esquecido lá no jogo contra o Guarani”, reclamou o treinador, que irá liberar os jogadores só no sábado e domingo de carnaval. “Vamos treinar normal até sexta-feira.

A folga será no sábado e no domingo, para os jogadores descansarem e aqueles que gostam de carnaval, brincar. Mas nada que possa prejudicar a sequência dos trabalhos”, alertou o treinador.

NETINHO

Mauro Fernandes praticamente usou dois times, um em cada tempo. Mas um jogador participou de quase toda a atividade: o meia Netinho. Depois, em sua entrevista coletiva, o meia disse estar bem fisicamente, mas não negou que ainda lhe falta ritmo de jogo. Porém, prevê que sua estreia está próxima.

“Venho conversando muito com o Júlio Alencar (preparador físico) e com o Mauro Fernandes. Já estou aqui três semanas e me sinto muito melhor fisicamente, embora ainda esteja abaixo do grupo.

Mas falta ritmo de jogo, o que vem mesmo só com as participações. Estive no banco no clássico e fui pé-quente, então espero fazer também uma estreia o mais rápido possível e com vitória”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.