quinta-feira, 31 de Dezembro de 2015 03:30h Atualizado em 31 de Dezembro de 2015 às 03:32h.

Guarani treina sem folga até mesmo na virada do ano

O Guarani de Divinópolis está há exatamente um mês para entrar em campo diante do Tricordiano, pela primeira rodada do Campeonato Mineiro 2016

Para isso, os atletas, em um total de 28 treinando, dois no departamento médico, treinam todos os dias, inclusive os dois reforços, que recentemente chegaram do Clube Atlético Mineiro.

Os atletas vindos do Galo, sendo o goleiro Michael, fala da forma que se escreve, estava disputando a Copa das Seleções sub 20. Um atleta de experiência internacional, embora a pouca idade. Excelente estatura e garantiu entrar na disputa pela titularidade. “Agradeço ao Guarani por abrir as portas e tenho uma expectativa boa, chegando aqui, vindo do Atlético, onde tive minha base, acredito que venho para somar. Uma luta contra tudo, luta pela vaga de titular, contra o tempo (30 dias para a estreia), tentar estar o mais preparado possível, para, se surgir a chance de entrar como titular, agarrá-la da melhor forma possível e ajudar o Guarani”, declarou.

O jovem atleta sabe que a posição de goleiro não é comum aparecer tantas oportunidades, uma substituição durante a partida é muito rara no futebol, ou mesmo suspensão por cartão. Dessa forma, quem sair na frente, leva uma grande vantagem, sabendo disso, promete se dedicar ao máximo nos treinos e provar nesse período curto a capacidade de vestir a camisa 1 do Bugre. “Esse é o pensamento principal, vou lutar, vou treinar para isso. Não conheço os colegas de treino, são companheiros de trabalho e tenho certeza que o respeito vai prevalecer, com certeza, o que estiver melhor terá a aceitação do outro e estou preparado psicologicamente para isso”, garantiu ele, que tem 1,96m e já anuncia. “Genética boa”, contou o goleiro.

Outro vindo por empréstimo é o volante Gustavo. Ele conhece o treinador Ricardo Leão desde a base do América Mineiro, onde também jogou com outros atletas que estão no Guarani, o atleta garante que isso dá uma certa ajuda no período de adaptação, embora as condições sejam bastante diferentes. “Trabalhei com Ricardo Leão no América, facilita o entrosamento e sei o modo que ele pensa, acrescento e venho buscar meu espaço, meu lugar no time e com muito respeito aos companheiros”, falou ele, que tem 1,78m e marca muito, tem muita pegada.

Ele se apresentou à imprensa e mostrou estar em busca de um espaço e neste se afirmar como jogador profissional, uma transferência que requer equilíbrio e concentração, duas qualidades que demonstrou logo na chegada. “Primeiramente agradecer ao Guarani, por abrir as portas para mim, a expectativa nesse ano é muito boa, tenho que mostrar o porquê sempre atuei em time grande, tenho que mostrar meu potencial, trabalhar dobrado sempre e a cada treinamento, fui para o Galo com 15 anos e atuei cinco anos no América e estou em Belo Horizonte desde os três anos de idade”, contou ele, que nasceu em Campinas-SP.

Ambos atletas são jovens, muito talento, experientes e poderão ajudar também os jogadores da cidade, que estão no grupo e, ao mesmo tempo, absolver dos mais rodados as manhas adquiridas ao longo do tempo. Gustavo não se furtou em ajudar. “Posso ajudar, por já ter disputado várias competições nacionais e joguei em grandes clubes e quero ajudar nesses aspectos”, considerou.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.