terça-feira, 12 de Abril de 2016 09:49h Luciano Eurides

Guarani vence, mas combinação de resultados o leva para o módulo II

O Guarani de Divinópolis foi rebaixado para o módulo II do Campeonato Mineiro. A equipe entrou em campo com a missão de vencer o Villa Nova e ainda torcer para Cruzeiro, Atlético e Uberlândia

O Bugre fez o dever de casa, venceu por 2x1. Mas ao ser concluída a fase de classificação, com seis jogos simultâneos, determinaram classificados, rebaixados e equipes que jogarão a Série D do Campeonato Brasileiro nas próximas duas temporadas.

Em Divinópolis, o Guarani venceu o Villa Nova no Farião por 2 a 1, mas não evitou o rebaixamento da equipe. Marcus Vinícius colocou o Bugre em vantagem na etapa inicial, mas Mancini marcou para o Leão e igualou o marcador antes do intervalo. No segundo tempo, Felipe Cordeiro fez mais um para os mandantes e deu números finais ao jogo. Neste momento, o Tricordiano já vencia o Atlético Mineiro. O alvinegro abriu o placar com Cazares, de pênalti, aos 26 minutos do primeiro tempo, mas a equipe de Três Corações chegou ao empate sete minutos mais tarde. Marcinho aproveitou cruzamento vindo da direita e deixou tudo igual novamente. Na etapa complementar, Juninho, também de pênalti, virou o jogo para os visitantes e Marquinho ampliou para o Galo do sul de Minas. Robinho descontou para o Atlético no fim, mas Arnold ainda fez mais um antes do apito final e garantiu o Tricordiano na elite do futebol mineiro. Com este resultado, mesmo com a vitória, o Guarani termina o estadual na penúltima posição e jogará o Módulo II do Campeonato Mineiro na próxima temporada.

 

 

 

A luta do Guarani durante todo o jogo resultou em aplausos na saída do time de campo. O torcedor entendeu, mas os atletas emocionados e chateados. O vestiário ficou com clima de velório. “Fico triste, o Guarani é um time tradicional de Minas e não esperávamos isso. Infelizmente, o resultado que dependíamos não veio e vamos nos preparar no ano que vem para subir de novo”, falou Murilo. O goleiro Jordan também falou do trabalho feito. “Temos que pedir desculpas ao torcedor, tentamos, mas, infelizmente, não conseguimos nos manter. Agora é esquecer e tentar voltar o mais rápido possível à primeira”, garantiu.

 

 

 

O vice-presidente do Guarani, Vinícius Morais, falou sobre os motivos da queda e do futuro do clube. “Independente do que houve com o Atlético, faltou nosso dever fora de casa, tem de levar o que é feito fora, se pegarmos detalhes, veremos que é jogo, muito trabalho e levantar a cabeça. Estávamos pensando sempre dentro de campo, apesar de não ser na divisão que queríamos, temos um Guarani melhor do que quando pegamos, agora é analisar a situação política do clube de agora para frente, mas sempre o Guarani contou com a gente e vai poder contar, terá a gente presente”, disse.

 

 

 

O treinador do Guarani, Ramon Menezes, avaliou a equipe sob o comando dele. “Dos 12 pontos disputados, ganhamos sete, mais de 50% de aproveitamento e não foi suficiente, tem de dar sequencia, ver onde errou, é um campeonato muito difícil, onde não esperávamos a derrota do Atlético para o Tricortdiano. Futebol só sobrevive os fortes e tem de levantar a cabeça, cada temporada tem que servir de lição”, falou ele.

 

 

 

Independente de qual divisão, sempre é o Guarani. Uma torcida apaixonada, que, novamente, encheu as dependências do estádio, esteve com o time, lutou pela equipe. Respeitou os profissionais que trabalharam pelo clube. Um desafio para a diretoria, colocar as finanças em dia e, ao mesmo tempo, se manter na primeira divisão. Uma tarefa que, por muito pouco, não foi alcançada e deixa a sensação de empenho e doação. Não se pode culpar outros, mas dividir a culpa entre toda a cidade. Os atletas se empenharam, trabalharam e fizeram o máximo, às vezes além mesmo das expectativas. Comissão técnica e funcionários, da mesma forma. Ainda a torcida, apaixonada e sempre presente, esse maior patrimônio do Guarani.

 

 

 


OUTROS RESULTADOS

URT e América fizeram um confronto direto de equipes do G-4 em Patos de Minas e terminaram o confronto empatados em 1 a 1. O Coelho saiu na frente depois de Osman fazer o primeiro gol do jogo cobrando pênalti. Pouco antes do fim da primeira etapa, Nadson empatou para o Trovão e determinou o placar final da disputa. No Almeidão, o Tombense entrou em campo e conseguiu uma vitória diante do Uberlândia, que confirmou a permanência da equipe no Módulo I. Na primeira etapa, Rodney e Dorival colocaram a equipe de Tombos na dianteira da partida. Nos últimos 45 minutos, Lenílson diminuiu para a equipe do Triângulo, mas a reação parou por aí. Placar final, 2 a 1.

 

 

 

Mesmo jogando em casa, o Boa Esporte tinha a difícil missão de vencer o Cruzeiro, líder da competição e invicto no campeonato, para tentar se livrar do descenso. Porém, o time de Varginha acabou derrotado por 3 a 2 e foi rebaixado para o Módulo II. Douglas Coutinho marcou duas vezes para a equipe celeste e Leonardo descontou para a Coruja no primeiro tempo. Na segunda etapa, Allano marcou o terceiro gol da Raposa, Rodrigo Mucuri fez mais um para Coruja, mas não foi suficiente para livrar o time da queda.

 

 

 

No Mário Helênio, em Juiz de Fora, Hiroshi marcou o primeiro gol do Tupi diante da Caldense logo no início da partida. Precisando de um gol para alcançar uma vaga para a Série D, a Veterana conseguiu seu gol salvador somente aos 45 minutos da etapa final. Rafamar foi o herói da partida e o autor do tento que colocou a equipe de Poços de Caldas na competição nacional.

 

 

 


Semifinais: Cruzeiro x América; Atlético x URT
Classificados para a Série D (2016 e 2017): URT, Caldense e Villa Nova
Rebaixados para o Módulo II: Guarani e Boa Esporte

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.