terça-feira, 13 de Março de 2012 09:06h Atualizado em 13 de Março de 2012 às 10:08h. Luciano Eurides

Guarani vence, mas não convence

O Guarani de Divinópolis venceu o Democrata de Governador Valadares pelo placar de 3x1, jogando no Waldemar Teixeira de Faria, no último domingo. O jogo foi apertado e a vitória veio somente no final do segundo tempo. A primeira etapa da partida foi diante de vaias. O Bugre enfrentará no próximo domingo o Uberaba, no triângulo mineiro.
O Guarani não começou bem a partida. Ainda no primeiro até equilibrou o jogo, mas erros demonstravam um nervosismo descomunal. A torcida ficou impaciente e vaiava em especial o lateral esquerdo Tita e o treinador Gian Rodrigues. A situação piorou quando aos 27 minutos o jogador da Pantera, Leandro Bocão marcou o gol do Democrata. Foram intermináveis os minutos finais do primeiro tempo.
Para a segunda etapa o Bugre realizou uma mudança importante. Alex que é meia entrou no lugar do lateral esquerdo Tita. Assim, Magalhães que não vinha bem no ataque teve a função de marcar pelo lado esquerdo e o time melhorou. Houve principalmente uma postura de jogo. Michel Elói assumiu responsabilidade no jogo, correu e vibrou muito. Levou o time a frente e a equipe crescia. O empate veio com um forte chute de Michel Elói, o bom goleiro Alex não conseguiu segurar e a o rebote veio para Marinho, que de cabeça, aos nove minutos da etapa complementar empatou o jogo.
A partida ficou aberta e a equipe de Governador Valadares mais exposta, principalmente porque o Bugre passou a acertar os passes. Ivan entrou no time, no lugar de Léo Medeiros, já cansado, pois havia lutado muito, em especial no primeiro tempo quando os erros o obrigaram a marcar forte. O time ganhou velocidade. O destino deu uma mão salvadora também. Chico Marcelo deixaria o campo para a entrada de Ely Tadeu, mas Michel Elói sentiu uma pancada e também câimbras. No lance seguinte a entrada de Ely Tadeu, a bola alçada na área e Chico Marcelo de cabeça fez o gol da virada.
Com a torcida aplaudindo, a mudança de postura, uma equipe leve e o Democrata via dificuldades em reverter a situação. Já nos minutos finais da partida o atacante Marinho foi derrubado na área pelo goleiro Alex e ele mesmo cobrou, e repetiu a comemoração de olhos puxados, homenageando o jogador  do Guarani, o Coreano Kaká.
O atacante Marinho falou que ninguém esperava ser um jogo fácil. “Um jogo muito difícil, o Democrata não merece essa colocação, é uma equipe que lutou, brigou e dificultou bastante. Falamos nos vestiários que estava feio demais e precisamos mudar isso. O atacante vive de gols, sempre procurei fazê-los e agora mais tranquilo. O olho puxado é por conta de um coreano amigo meu, desde que não estava fazendo gols ele sempre esteve do meu lado”, disse.
O treinado Gian Rodrigues comentou os altos e baixos da equipe. “O time teve nervosismo, a torcida do lado de lá (arquibancada atrás do gol) apoiando bastante que é normal e daqui (módulo) apertando bastante os atletas. Eles sentem aquela ansiedade em vencer e tinha de vencer, de qualquer forma. No segundo tempo bastante diferente. Escuto muito sobre nossa equipe que se posiciona muito bem e ele é assim, erramos muitos passes, coisa que não é característica do nosso time. Hoje a ansiedade de vencer, sofre o gol e vem um peso muito grande e a alteração maior foi de comportamento. Estamos com sete pontos, temos de ganhar fora, os times da capital tem de vencer também. Temos oito dias para sair da zona de rebaixamento para a zona de classificação”, considerou.
Marinho homenageou o zagueiro Kaká. Ele é Coreano, estava no Itaúna e hoje faz parte do grupo de atletas do Bugre. O atleta é extremamente atencioso e conquistou a todos. Ele tem Marinho como um exemplo de dedicação ao futebol.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.