terça-feira, 14 de Abril de 2015 11:18h Atualizado em 14 de Abril de 2015 às 11:20h. Luciano Eurides

Igualdade marca o clássico Palmeiras e Flamengo pelo Imef

O Palmeiras recebeu o Flamengo no clássico divinopolitano dentro da Super Copa Imef, principal competição para as categorias de base de Divinópolis

O time casa venceu na categoria infantil por 2 a 1 e empatou em 1 a 1 na categoria juvenil. O resultado mostrou muita igualdade em campo. Na próxima rodada o Palmeiras encara o Vasco da Gama no Dr. Sebastião Gomes Guimarães, dia 18, e o Flamengo enfrenta o Comercial, no Barreiro.
Na categoria Infantil, com nascidos em 2000, o Palmeiras vinha de derrota fora de casa frente ao Prata e precisava fazer valer o mando de campo. O Flamengo vindo de goleada em casa sobre o Villa Nova e queria mostrar sua evolução.
No começo do jogo, Todynho cobrou falta e contou com a ajuda do goleiro para fazer 1 a 0. A cena se repetiu ainda na primeira etapa: nova falta, bola alta e o goleiro aceitou, 2 a 0 com dois gols de Todynho. No segundo tempo o Flamengo se arriscou, foi ao ataque e conseguiu o gol dele, em uma penalidade muito bem marcada pela arbitragem de Nova Serrana. Samuel na cobrança fez 2 a 1.
O jogo mostrou um Palmeiras de muita qualidade, com boa presença em todos os lados do campo e a mescla na formação da equipe onde o técnico Dinei pode usar todo o elenco. Todynho falou da importância da vitória. “Começamos bem, marcamos os gols. Dinei pode substituir e marcamos, sofremos o pênalti, mas conseguimos na marcação segurar até o final. Cada jogo é uma estratégia diferente e temos de manter para conseguir as vitórias. Podemos chegar à final, é manter do jeito que está que conseguimos sim”, falou o volante.
Pelo lado do Flamengo a evolução que se esperava do time aconteceu. O time jogou muito bem, teve duas falhas do goleiro, isso prejudicou em termos de resultado. Mas o time teve a saída de bola e a condução até o ataque. Samuel falou do resultado e dessa nova mobilidade no meio campo. “Não foi o resultado que esperávamos, viemos em busca da vitória, mas não aconteceu e temos de erguer a cabeça e buscar os três pontos contra o Comercial. O time rendeu bem, mas o Palmeiras foi superior que a gente e não podemos baixar a cabeça e treinar para conseguirmos a vitória no próximo encontro. Houve a falha, errou não somente o goleiro, erramos todos. Tirar isso como reflexão e não cometer os mesmos erros. Time jogou bem, só fazer o que sabemos. Parabéns para todo mundo que veio aqui e jogou”, declarou.
Na categoria Juvenil, dos nascidos em 98 e 99, o Flamengo era favorito. Atual campeão, vindo de goleada sobre o Villa Nova e encarando um Palmeiras em formação e vindo de derrota frente ao Prata, a expectativa foi contrariada. O Palmeiras dominou o primeiro tempo. O gol saiu em cobrança de falta. Em dois lances, a bola rolada para Tallys encher o pé, sem chances para o goleiro Vitinho.
O empate veio no último minuto da etapa inicial, em cobrança de escanteio na cabeça de Michael para ele fazer 1 a 1. No segundo tempo, o Flamengo cresceu e, com o passar do tempo, com mais substituições, o time foi empurrando o Palmeiras para o campo de defesa, mas com um resultado bom diante das circunstâncias, o Palmeiras se segurou e comemorou o resultado.
O Palmeiras fez uma apresentação muito melhor que qualquer torcedor esperava e por isso foi comemorada. Tallys, autor do gol e capitão da equipe, diz que com alguns ajustes o time encara todos os adversários. “Foi um jogo bem pegado. Um vacilo, tomamos o gol e mesmo assim estamos firmes e fortes e não sofremos a goleada que muita gente falou. Mostramos o que temos condições e com um time 99% um ano a menos e lutamos muito, daqui uns dias aperfeiçoamos”, garantiu.
Uma grata surpresa no jogo foi o atacante Camilo. Ele tem 17 anos e 1,87m. “Sou muito novo, meus pais são grandes, de certa forma ajuda e depende de esforço também. Sou mais meio campista e fui improvisado para o ataque, fiz o possível para ajudar o grupo”, declarou ele, que pela altura segurou as investidas do setor defensivo Rubro-negro.
O atleta Michael, do Flamengo, diz que o fator campo pesou no encaixe da equipe. “Foi complicado porque estamos acostumados com a bola ao chão, eles com bola aérea. Tentamos adaptar ao campo e fizemos nosso melhor, até achei o nosso primeiro tempo melhor, mais equilibrado no segundo e infelizmente não marcamos. Temos de treinar e pensar no próximo jogo contra o Vasco da Gama”, disse.
Nas categorias Infantil e Juvenil classificam-se para a próxima fase as cinco equipes de cada grupo, uma equipe ainda por índice técnico geral dos três grupos.

 

Créditos: Luciano Eurides

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.