quinta-feira, 12 de Setembro de 2013 08:44h

Jô ou Alecsandro é a duvida no Galo

Recuperado de um estiramento muscular na coxa esquerda, o atacante Alecsandro está à disposição do técnico Cuca para a partida desta quinta-feira, diante do Coritiba, às 21h, no Independência, na abertura do returno do Campeonato Brasileiro.

Recuperado de um estiramento muscular na coxa esquerda, o atacante Alecsandro está à disposição do técnico Cuca para a partida desta quinta-feira, diante do Coritiba, às 21h, no Independência, na abertura do returno do Campeonato Brasileiro.

 


O centroavante tem boas chances de estar entre os 11 que iniciarão a partida. Isso porque Jô foi titular da Seleção Brasileira no amistoso contra Portugal, na última terça-feira, nos Estados Unidos, e seu aproveitamento ainda dependerá de uma avaliação física. “Estou treinando com bola. Não tem problema. Talvez, pode pegar um pouco a parte física, mais no fim do jogo. Mas, se tiver certo, fico até o final, como eu sou fominha”, brincou.

 


Por enquanto, a única certeza de Alecsandro é a de que o Atlético precisa reagir urgentemente no Brasileirão e se afastar da zona de rebaixamento. “Só existem dois objetivos: ser campeão ou não entrar na zona de rebaixamento. O mais próximo neste momento é entrar na zona de rebaixamento. Então, temos que voltar a jogar bem e encarar o Campeonato Brasileiro como um Campeonato Brasileiro. Jogar como se a cada partida a gente quisesse buscar a liderança”, alertou o camisa 19.

 


Apesar da preocupação com a falta de bons resultados, o atacante lembrou que o Galo ainda tem um jogo a menos que a maioria dos rivais, o que pode colocar o time na primeira metade da tabela de classificação. “Se a gente vencer, com 25 pontos pulamos para 10º, 12º, mais ou menos isso. Hoje estamos numa situação ruim, viramos o turno numa situação ruim, mas lembrando que temos um jogo a menos dentro de casa (contra a Ponte Preta)”, explicou.

 


Alecsandro disse que entende as cobranças feitas pelos torcedores a alguns jogadores, mas que o momento é de união entre todos no clube. “A cobrança é válida, principalmente depois do jogo. O torcedor tem que estar lá para incentivar, para ajudar o seu time, como o Atlético fez até hoje e como o torcedor do Atlético fez em toda a Libertadores. Aí sim, depois que acabar o jogo, o torcedor tem todo o direito de cobrar. Até porque é o torcedor campeão da Libertadores”, comentou o jogador.

 


O capitão atleticano quer começar a ganhar já nas primeiras partidas do returno. "Já poderíamos ter tido um novo recomeço principalmente dentro de casa. A competição já está afunilando, principalmente nas primeiras partidas. Temos que ter atenção, procurar somar o máximo de pontos para que possamos ter certa tranquilidade. Nós temos que vencer, o torcedor faz o papel dele fora de campo. De repente a ausência dele pode ser um reflexo do que ainda não mostramos dentro de campo", disse.

 


Questionado sobre o relaxamento após a conquista da Libertadores e as diferentes formações usadas por Cuca devido ao excesso de suspensões e de contusões, Réver foi claro ao dizer que isso não pode ser usado como desculpa pelos resultados ruins. Segundo ele, o elenco do Atlético-MG é forte e pode suprir as ausências. "Ano passado a gente também teve isso, não é desculpa. Temos vários jogadores de muita qualidade, isso não pode ser um problema, pelo contrário, tem que fortalecer ainda mais, quem entrar tem que mostrar porque pode ser titular ou até mesmo porque está no time do Atlético-MG", afirmou.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.