terça-feira, 14 de Outubro de 2014 11:09h Atualizado em 14 de Outubro de 2014 às 11:11h. Luciano Eurides

Joaquim Nabuco é campeão da 1ª Copa Unifenas de Futebol Escolar

Foi realizada na última sexta a primeira Copa Unifenas de Futebol Soçaite

O evento realizado na Arena de Grama Sintética do Vasco da Gama reuniu seis escolas, sendo quatro de Divinópolis, uma de Carmo do Cajuru e uma de Santo Antônio dos Campos. Todos os alunos são do 2º e 3º Ano do Ensino Médio.
A coordenação do evento dividiu as escolas em três jogos, sendo os vencedores classificados para as semifinas e o melhor índice técnico formaria o quarto representante. Na primeira partida a equipe Cajuruense venceu por 3 a 1 o time da E.E. Dona Antônia Valadares. A Escola Manoel Corrêa, do bairro Planalto, goleou por 15 a 0 a Escola Professor Chico Dias. As escolas Joaquim Nabuco e Antônio Belarmino empataram em 2 a 2, nos pênaltis, com ambas classificadas. Ficou definido que a equipe divinopolitana se classificou em quarto e assim enfrentaria Manoel Corrêa.
Na semifinal o Joaquim Nabuco venceu o Manoel Corrêa por 4 a 2 em um jogo sensacional onde o goleiro, Richard, estava em noite inspirada e fez grandes defesas. Na semifinal entre Vigário José Alexandre e Antônio Berlarmino, o time de Carmo do Cajuru venceu por 5 a 4.
A Escola Estadual Joaquim Nabuco, de Divinópolis, sagrou-se campeã da primeira edição da Copa Escolar Unifenas. A disputa da final envolveu o time Cajuruense Vigário José Alexandre e o campeão Joaquim Nabuco.
A disputa no tempo normal terminou empatada em 4 a 4. Com excelente nível, o jogo foi de equipes opostas. O Joaquim Nabuco sentiu a sequência de jogos, colocava a segunda base e perdia poder de marcação, mantinha a primeira base e retomava o poder de segurar o adversário. Já a equipe de Carmo do Cajuru tinha um grupo mais homogêneo e finalizava com muita objetividade, esse fator fez do jogo emocionante.
Depois do empate, duas surpresas nas cobranças de pênaltis: a equipe do Joaquim Nabuco substituiu Richard, goleiro que foi o melhor da competição, por Pedro, mais acostumado a defender penalidades. O capitão, Túlio Lacerda, único jogador insubstituível do time, fez todas as cobranças e deu certo. O atleta fez sete cobranças certas, já a equipe Cajuruense seis, jogando a última cobrança para fora. Final 6 a 5 para Joaquim Nabuco, com seis cobranças de Tulio Lacerda para a equipe campeã. Para os Cajuruenses, marcaram Juninho, Tatá (2), Vitor e Viola.
Tulio falou da conquista, da equipe escolar e adiantou que se houver ainda os Jogos Escolares de Divinópolis o time deles está preparado. “Na quadra do Instituto não conseguimos sair vitoriosos, mas aqui graças a Deus conseguimos vencer”, disse ele, que atua no Flamengo (campo natural), jogou na quadra (cimento) e agora na grama sintética.
“Muda muito, o desgaste, um campeonato de apenas um dia e foi desgastante sim. Pênalti, não é problema, chutei uns seis e estava confiante. Esse time sai de uma final na terça-feira, na sexta-feira, campeão. Somos favoritos sim, caso a Prefeitura faça os jogos escolares”, garantiu o campeão.
O goleiro, Pedro, entrou para as cobranças de pênaltis. “Porque na verdade trabalhamos isso nos treinos, o Richard fez um excelente trabalho nos três jogos, eu fiz um treino exclusivo para os pênaltis. Esse específico ajuda muito a fixação desse fundamento que é tão difícil para o goleiro e nem foi uma defesa minha, foi um erro do cobrador, mas tem uma relação sim. O time é muito unido, vale ressaltar que 'o talento não vence jogos, mas o trabalho em equipe vence' e perdemos um campeonato há pouco e não baixamos a cabeça, viemos aqui e merecemos esse título, tenho certeza”, considerou, e falou também sobre as bases.
Há o time inicial e as trocas acontecem diante das circunstâncias e muito automáticas. “Um time muito entrosado, jogamos pouco tempo juntos, mas somos amigos e isso criou uma facilidade na troca, eu acho que isso é forte para o trabalho em equipe. Essa turma vai se desfazer, alguns ficam pois estão no segundo ano, mas se tiver dentro da condição de cada um, quem sabe nós voltamos a reunir”, falou. 
A premiação foi efetuada logo em seguida e os jogadores liberados para comemorar. Detalhes importantes: o troféu de vice-campeão entregue por Túlio Lacerda, capitão do Joaquim Nabuco, e ainda o time de Carmo do Cajuru, que não arredou pé da quadra. Todos os jogadores, professores e a diretora da escola aguardaram o final da premiação com muita disciplina e educação, como o futebol e a escola sempre ensinam. Prova de que os estudantes aprenderam muito bem. O Joaquim Nabuco comemorou muito a conquista. Sem qualquer discussão, digno de campeão.

 

 

 

 

RESULTADOS
Classificatórios
Dona Antônia Valadares 1 a 3 Vigário José Alexandre
Manoel Corrêa Filho 14 a 0 Professor Chico Dias
Antônio Belarmino 2 a 2 Joaquim Nabuco

Semifinais
Manoel Corrêa Filho 2 a 4 Joaquim Nabuco
Vigário José Alexandre 5 a 4 Antônio Belarmino

Final
Joaquim Nabuco 4 a 4 Vigário José Alexandre
Pênaltis (Joaquim Nabuco 6 a 5 Vigário José Alexandre)

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.