terça-feira, 18 de Janeiro de 2011 00:00h

Jogadores atleticanos destacam potencial do grupo

Reforço para a lateral-direita, Patric ressalta a necessidade de conquistar o respeito do grupo para, então, buscar espaço na equipe.

Segundo ele, a disputa por posições no Atlético é sadia, uma vez que o objetivo de todos é o mesmo: levar o Galo à conquista de títulos. “Estou bem focado, trabalhando junto com o Rafael para buscar um espaço. Ainda não tivemos treinamento coletivo, onde o Dorival vai começar a montar a equipe, mas a gente sabe que tem que trabalhar e ter o respeito do grupo, do treinador e da torcida. Se eu tiver essa oportunidade, vou ficar muito feliz, mas, enquanto isso, estou trabalhando forte, sabendo respeitar os companheiros”, destacou o lateral. “A gente sabe que a briga vai ser sadia e tranqüila porque o objetivo de todo mundo é ser campeão, deixar seu reconhecimento aqui no clube. Tenho certeza que todos vão dar o melhor para ser titular e o Dorival vai contar com todo mundo porque o elenco é muito bom”, acrescentou Patric. O jogador revela que vem trabalhando forte durante a pré-temporada para poder aproveitar uma possível oportunidade na equipe. “Estou me preparando bem, focando o objetivo de trabalhar forte para, quando a oportunidade chegar, eu esteja preparado, assim como o Dorival vem passando, que todos têm que estar preparados. A ansiedade existe, mas a gente tenta controlar porque sabe que, quando a chance aparecer, tem que estar preparado”, concluiu o lateral-direito.

Apesar de ser uma das principais contratações do Atlético para a temporada, o meia atacante Mancini não se empolga com o status de ‘estrela’ no grupo. Ele demonstra humildade, rechaça a condição de ídolo da torcida e disse que o mais importante é apresentar um bom futebol para conquistar espaço e ter bom rendimento no retorno ao clube que o revelou.

Depois de oito anos atuando no futebol italiano, onde se destacou pela Roma, passando ainda por Inter de Milão e Milan, Mancini acertou o retorno ao Galo, aumentando a esperança da torcida em uma temporada positiva, ao contrário do ano passado. Mesmo em meio ao entusiasmo dos atleticanos, o velho conhecido mantém a concentração voltada no começo da preparação com os companheiros. E deixou claro que não se preocupa em ser ídolo. “A partir do momento que você veste a camisa do Atlético, a responsabilidade dobra. Sei onde estou pisando, sei da torcida que o clube tem. Essa coisa de ídolo, eu não gosto. Isso não faz parte do meu caráter, pois sou uma pessoa simples e não volto com status de medalhão. Vou ajudar com a minha experiência, mas o importante é o todo”, afirmou o jogador, que aposta na união do grupo e no espírito coletivo. “A união do grupo será fundamental para o Atlético atingir objetivos importantes. Temos quatro campeonatos para brigar por títulos. O clube contratou bem, está bem servido de excelentes jogadores. Tenho certeza que, com muita ambição, gana e ajuda da torcida, faremos um ano de 2011 brilhante”, projetou o ex-lateral, que não poupou elogios à estrutura do Galo. "Não fica atrás de nenhum clube da Europa. E o CT pode ser até melhor que os de lá, porque é moderno e oferece todas as condições de trabalho. Isso me impressionou muito", acrescentou.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.