segunda-feira, 4 de Maio de 2015 11:04h

Jovens em cumprimento de medidas socioeducativas sonham com o futebol profissional

Dezesseis adolescentes foram levados para testes em um clube de Montes Claros. Dois foram aprovados

Dois jovens que cumprem medidas socioeducativas no Centro Nossa Senhora Aparecida em Montes Claros (CSENSA), no Norte de Minas, conseguiram passar em uma “peneira” de aproximadamente 300 candidatos às categorias de base do futebol do Victória Clube de Montes Claros.

Participaram da seleção 16 jovens do CSENSA, levados pelos agentes socioeducativos da unidade. “Tivemos a ideia depois de identificarmos vários talentos em um torneio de futebol que realizamos em janeiro deste ano”, relata o agente Roberto Evangelista Lopes, de 42 anos. A competição interna foi batizada de ‘Esporte na Medida’, numa referência às medidas socioeducativas aplicadas aos adolescentes.

Os dois jovens já estão inscritos para disputar o Campeonato Mineiro no segundo semestre, nas categorias juvenil e de juniores. Os treinos ocorrem três vezes por semana, mas com a proximidade da competição passarão a ser realizados de segunda a sexta-feira.

A diretora-geral da unidade, Vanessa Alves Silva, ressalta que as atividades esportivas não atrapalham os estudos dos jovens. Aliás, o empenho na vida escolar é uma das exigências, dentre outras, para ingressar e permanecer no futebol. “Cobramos dos jovens a dedicação a todos os eixos das medidas socioeducativas: atividades culturais e esportivas, escolarização, profissionalização e fortalecimento dos vínculos familiares”, reforça a diretora-geral.

Os jovens, aqui citados com nomes fictícios, como exige o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), alimentam a esperança de seguir carreira profissional no esporte. Luís, que está no primeiro ano do ensino médio e na categoria juvenil do Victória Clube de Montes Claros diz que o seu sonho é se tornar jogador profissional. “Estou com minhas esperanças de vida bem fortalecidas, e isso começou quando iniciei atividades esportivas no Centro Socioeducativo”, relata o jovem.

Na categoria de juniores está Mauro, aluno do segundo ano do ensino médio na escola instalada dentro do CSENSA. Ele é ‘vizinho’ de sala de aula do juvenil Luís. “Minha família está dando um grande apoio, pois tenho me esforçado em tudo que faço”, conta Mauro.

Esporte na Medida

O Esporte na Medida foi coordenado pelos agentes socioeducativos Alex Sandro Gonçalves Santos e Roberto Fernandes Macedo. Participaram 46 adolescentes do núcleo de internação, que se dividiram em seis equipes.

O agente Roberto Evangelista Lopes participou como mesário, colaborador e organizador. “Escolhemos o mês de janeiro por ser um período de férias escolares, quando os jovens têm mais tempo livre e precisam, mais do que em outras épocas, de atividades esportivas”, explica Roberto.

A passagem do torneio para a participação na peneira do Victória Clube foi supreendentemente tranquila. “Em momento algum houve demonstração de preconceito, nem da parte da direção do Victória nem dos outros atletas, relacionada com a presença de adolescentes que cometeram atos infracionais”, conta o agente.

Conquistas

A diretora-geral do Centro Socioeducativo Nossa Senhora Aparecida, Vanessa Alves Silva, ressalta o bom relacionamento estabelecido entre os agentes socioeducativos durante o torneio Esporte na Medida. “Foi estabelecida uma relação de respeito e harmonia, condição essencial para o sucesso das medidas socioeducativas”, diz Vanessa.

A unidade possui um histórico de conquistas na área esportiva. Em 2007, estiveram em São Paulo dez adolescentes da CSENSA para participar da ll Olimpíada da Fundação Casa, instituição responsável por adolescentes infratores naquele estado. A competição foi disputada também por delegações do Espírito Santo e de Brasília. A turma voltou para Montes Claros com a taça de campeão no futebol de salão. Em 2009, outro adolescente conseguiu ingressar no time profissional do Funorte Esporte Clube, com o apoio e o incentivo da equipe do CSENSA.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.