terça-feira, 27 de Janeiro de 2015 09:57h Atualizado em 27 de Janeiro de 2015 às 09:59h. Luciano Eurides

Jusa Fonseca e Paraiso vão decidir o Campeonato Amador da LMDD

No domingo pela manhã foram definidos os finalistas do Campeonato Amador de Divinópolis

O Jusa Fonseca empatou em 0 a 0 com o Curriria e o Paraíso fez 2 a 0 em cima do Tupi de Carmo do Cajuru, e o show foi de Araketu. O jogo da final foi anunciado para o Farião, mas o Guarani ainda não confirmou a partida, assim, aguarda-se um comunicado oficial.
O Curriria fez uma grande partida diante do Jusa Fonseca. Jogando na casa do adversário, teve domínio do jogo até meados do primeiro tempo. A defesa do Jusa se via obrigado a dar o chutão, o meio campo, então com dificuldades de dominar a bola, sofria com uma marcação implacável, especialmente de Paulinho.
Ele e Vô dominaram a intermediária e Felipinho criava boas oportunidades, Digdal deu muito trabalho para os zagueiros e o goleiro Dedé, do Jusa, fez ótimas defesas. Já na segunda parte da etapa inicial, o Jusa conseguiu equilibrar o jogo e até chegou com perigo. Em um cruzamento de Diego Pelé, o atacante Kenedy chegou segundos atrasado e por pouco não abriu o placar.
No segundo tempo o time do Curriria foi empurrando o Jusa Fonseca para dentro do campo de defesa. Enquanto fazia pressão, o time da casa usava o regulamento, pois o empate já lhe garantia a classificação. Obrigado a vencer, o Curriria usou a arma que tinha, entrou Cosme descansado e deu certo. Digdal pela direita colocou o jogador de frente para o gol e ele completou, mas a arbitragem assinalava impedimento. Lance polêmico, reclamado até mesmo exageradamente por parte do Curriria.
O Jusa nada tinha com isso, continuou fazendo o dever de casa e, com o empate, está na grande final. Há que se destacar que o time azul e branco dirigido por Acerola está invicto, teve 100% de aproveitamento na fase de classificação, venceu bem nas quartas de finais e teve dificuldades em colocar a bola no chão. A marcação foi implacável e os jogadores saíram-se muito bem diante de um adversário difícil.
O treinador do Jusa Fonseca, o jovem Acerola, destacou exatamente isso, a qualidade do adversário e as dificuldades que o time superou e terá de superar novamente para ser campeão. “Agora, colocar os pés no chão e entrar com um time firme, não pode repetir o que houve hoje quando o time se perdeu. Tudo para ser glorioso tem de ser sofrido, não é possível vencer todos facilmente. Parabéns para a outra equipe, eles jogaram muito também. Concentrar e tentar este título inédito para mim. A equipe do Jusa sonhou com a final no campo do Guarani, se puder ser lá, melhor, mas se não for o Jusa é muito forte dentro de casa e vamos levar vantagem se Deus quiser”, considerou.
Para o atacante Cosme, houve o erro da arbitragem e este foi essencial na saída da competição. “O time jogou o tempo todo na correria e tivemos mais bola e chutes no gol. No finalzinho, um gol legítimo, não deram, isso foi uma safadeza. Havia dois zagueiros comigo e ele deu impedimento, mas está na casa deles, isso explica. Saímos com a cabeça erguida, jogamos o tempo todo com raça e jogando futebol, infelizmente nem sempre a equipe que joga bem sai com a vitória. Vamos disputar o Torneio da Amizade aqui no Jusa, time focado e cabeça erguida para a próxima competição”, garantiu.
No segundo jogo da semifinal o Paraíso venceu o Tupi de Carmo do Cajuru por 2 a 0. Dois gols de Araketu. A equipe do Paraíso, praticamente jogando em casa, fez um esquema de jogo para encarar o Tupi: armou-se na defesa para sair no contra-ataque. O time soube fazer isso muito bem, anulando a criação de jogadas no meio do campo. O representante Cajuruense teve a melhor oportunidade de gol com Nilmar. Ele invadiu a área e se atrapalhou ao driblar o goleiro Adriano.
A forma de jogar do Tupi começou e terminou a mesma, mas o time foi se adiantando para encurralar o adversário. Em uma das investidas, ligação rápida com Araketu, que dominou a bola e girou. De pé esquerdo ele chutou cruzado e fez 1 a 0. Com a obrigação de marcar dois gols em poucos minutos, o time do Tupi foi ao ataque, sofreu novo contra-ataque e Araketu fez 2 a 0. O jogo terminou em confusão entre o alvinegro de Cajuru e a arbitragem.
Para o jogador Bruno Choquito, o time do Paraíso soube jogar e teve paciência para conseguir o resultado positivo. “Tivemos muita calma, independente de jogar pelo empate, sabíamos que eles viriam para cima. Combinamos em segurar no primeiro tempo e sair para cima no segundo e deu certo. O Negão, como carinhosamente o chamamos, conseguiu fazer os gols e estamos na final, um clássico, já nos encontramos outras vezes, uma equipe muito boa, agora é na raça e na vontade. O local do jogo não deve alterar a garra e a vontade de vencer de cada um”, falou o atleta que tem quatro gols na competição.
O jogador mais assediado é Araketu. O autor de dois gols aguarda uma grande final. “Homem gol não, mas nas oportunidades que surgirem tem de fazer para facilitar o jogo. Nos preparamos para nos defender, pois sabíamos que tínhamos a vantagem do empate, mas nosso ataque é rápido e jogamos por uma bola e assim definir a partida e assim aconteceu. Agora é clássico, gostaria que fosse  no campo do Jusa, mas se for no Farião vamos para o choque”, confessou o artilheiro do jogo.
Pelo lado do Tupi, Pablo explicou que o time não encontrou o melhor futebol. “Todos estão se perguntando o que ocorreu com o Tupi hoje. Não entramos com a mesma garra e disposição, mesmo assim tivemos duas chances de fazer os gols e matar o jogo. Futebol é isso, não fizemos e eles fizeram”, disse e ainda comentou a importância em ter o mando de campo. “Certamente se o jogo fosse no nosso campo teríamos feito uma partida melhor que [a que] fizemos hoje”, declarou.
Com relação à final ser realizada no Campo do Guarani, a assessoria de imprensa do Bugre disse não ter conhecimento, pois preliminares devem ser oficializadas na Federação Mineira de Futebol e até o memento não houve o encaminhamento de nenhum ofício. Também não informou se há uma data limite para essa entrada da documentação e reafirmou que não há nada de oficial por parte do Guarani.
Sabe-se que houve uma reunião na quinta-feira, no Farião, em que a LMDD esteve presente. Marcou-se a abertura dos portões para as 15h, portanto é inviável para ter uma partida às 13h30. Há de se mudar o horário pretendido pela LMDD ou a abertura dos portões. Como a ata da reunião já foi protocolada, as forças de segurança oficialmente comunicadas e nada dessa preliminar oficializada, vamos aguardar o caminhar da LMDD junto à FMF.

 

Créditos: Luciano Eurides

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.