terça-feira, 11 de Outubro de 2011 18:36h Atualizado em 13 de Outubro de 2011 às 10:32h. Luciano Eurides

K9 acredita na mudança de clima se vencer o Bahia

O empate contra o São Paulo (3 x 3), em jogo realizado na semana passada, serviu para aumentar a confiança do grupo celeste, pelo futebol exibido pelo Cruzeiro e a raça demonstrada em campo. Mas o atacante Keirrison pondera que a empolgação pela boa atuação da Raposa naquela partida ficou para trás e frisa que o time celeste vem buscando evoluir mais ainda para vencer o Bahia, no encontro desta quarta-feira, às 21h50, no estádio Pituaçu, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro.

 

 

Keirrison exalta a mudança de postura do Cruzeiro no jogo contra o São Paulo, entretanto, para o atacante, é necessário que a equipe estrelada continue se acertando para conseguir bater o Bahia, na casa do adversário. “Graças a Deus conseguimos corrigir os erros que vínhamos cometendo e podemos fazer uma boa partida, mas pensamos no Bahia, o jogo contra o São Paulo passou, agora temos que jogar melhor ainda para conseguirmos a vitória”, afirmou.

 

O atacante poderá fazer sua segunda partida como titular pelo Cruzeiro. Ele comenta sobre a função que exerceu contra o São Paulo e da adaptação de seu estilo de jogo a fim de ajudar o time azul e branco. Keirrison destaca que, mesmo sendo homem de frente, pretende ajudar a Raposa a vencer as partidas não só com gols, mas fortalecendo a marcação. “O futebol mudou muito, hoje precisa fazer muita marcação, então estou mudando minhas características. Lógico que é importante fazer os gols, mas nesse momento o Cruzeiro precisa do grupo, independentemente de quem faça os gols, temos é que conseguir vencer, esse é meu pensamento”, analisa.

 

 

Questionado sobre quem poderá ser seu companheiro no ataque celeste nesta quarta-feira, Keirrison disse que procura se entrosar bem com todos os demais atacantes do elenco celeste. Para ele, o alto nível dos atletas contribui para que a formação escolhida por Vágner Mancini tenha sucesso. “Procuramos pegar o entrosamento ao máximo, quem decide isso é o professor, mas a equipe se conhece, e também pela qualidade que o grupo tem, facilita para que joguemos bem com qualquer companheiro”, opinou.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.