sexta-feira, 26 de Agosto de 2011 11:07h Luciano Eurides

Kalil concede entrevista para aliviar pressão sobre os jogadores

A tão esperada coletiva de imprensa do presidente do Atlético, Alexandre Kalil, na tarde desta quinta-feira, na Cidade do Galo, começou com um anúncio surpreeendente do mandatário. Ele deixou claro que será candidato à reeleição para presidente do clube mineiro.


Segundo Alexandre Kalil tem o aval da família mesmo no momento tão difícil que passa o clube. “Eu vim aqui hoje depois de uma longa conversa com a minha família, que se resume nos meus filhos, porque não tenho mulher, nem namorada. Eles acharam por bem que eu deveria fazer uma declaração para a torcida do Atlético, e, logicamente, responder a todos pelo momento que nos passamos. A declaração que quero dizer é a seguinte: eu sou candidato à presidência do Atlético no final do ano. Meu nome estará na cédula e o Conselho poderá consagrá-lo ou tirá-lo. Se há algum movimento pensando em me desestabilizar como dirigente, esqueça. Quero dizer que é legítimo que qualquer atleticano, que esteja dentro da legalidade, seja candidato a presidente, até porque, estou dando a notícia para quem quer se candidatar. Está muito bom ser presidente. O cara vai pegar um clube organizado, bacana. É ótima oportunidade para os que querem ser presidente”,  contou Kalil.


O presidente, que assumiu ter conversado com seus familiares antes de tomar a decisão, explica o motivo pelo qual ele tentará prosseguir à frente do Alvinegro. Ele ainda compara sua escolha com a do ex-mandatário santista, Marcelo Teixeira. Kalil ainda contou que o clube já tem orçamento fechado para a próxima temporada. “Eu quero colher o que foi plantado aqui dentro, e eu vou colher, certamente. Isso aconteceu no Santos e no Internacional. O Marcelo Teixeira organizou o Santos e ele vem ganhando. O Atlético anda muito bem e o orçamento deste ano já está devidamente fechado. Não temos problema para levar o Atlético até dezembro. Eu, ou qualquer outro presidente, já pega o orçamento fechado.

 

Clássico pode salvar o Galo


Ex-jogador do Cruzeiro, o atacante Guilherme vai defender o Atlético no clássico deste domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Os dois clubes fazem campanha decepcionante. Pior para o Galo, que, mais uma vez, luta contra o rebaixamento.
 

Para Guilherme, o confronto deste domingo será decisivo para o futuro dos arquirrivais. “Vai ditar o ritmo das duas equipes no segundo turno. O que nos favorece é a força de vontade, que a gente já vem tendo há alguns jogos, e, acima de tudo, a presença do torcedor”, disse o atacante. Apenas torcedores do Atlético, mandante do clássico, terão acesso à Arena do Jacaré.


O Galo não vence há oito jogos, sendo dois pela Copa Sul-Americana - foi eliminado pelo Botafogo. O time ocupa a 18ª colocação, com apenas 15 pontos. “A gente sabe que não é compatível com a grandeza do Atlético, com a instituição e com os jogadores que aqui estão. Nós colocamos, entre aspas, o Atlético nessa situação. Somos nós que vamos tirar”, disse Guilherme, que segue sem saber o que vem acontecendo com a equipe. “A gente também não tem explicação. O momento é delicado, mas a gente vem trabalhando, não tem ninguém de brincadeira, de corpo mole”, garantiu.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.