quarta-feira, 8 de Agosto de 2012 16:34h Daniel

Kalil ignora acordo de rival e não fala sobre sua negociação com o Mineirão

O Cruzeiro anunciou nesta terça-feira um acordo verbal para mandar suas partidas no Mineirão, principal estádio de Belo Horizonte, por 25 anos, a partir de 2013. Embora seja parceiro comercial da BWA no Independência, o Atlético também tem planos para o uso do estádio da Pampulha.

Mas, por enquanto, o presidente alvinegro, Alexandre Kalil, prefere não comentar como andam as negociações do clube com a concessionária que administra o Mineirão. “Quando o Atlético fechar algum contrato com a Minas Arena, vocês vão saber e eu vou dar uma entrevista sobre isso”, afirmou ao Superesportes.

A reportagem apurou que o Atlético brecou, estrategicamente, as conversas com a Minas Arena, até que o Cruzeiro finalizasse a sua negociação. A partir de agora, a diretoria alvinegra deve procurar a empresa gestora do Mineirão para avançar as conversas.

De concreto, existe apenas um protocolo de intenções assinado entre Minas Arena e Atlético para que o estádio seja utilizado pelo clube. Este protocolo também foi feito com o Cruzeiro, antes do acordo verbal anunciado nesta terça.

A Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa) ressalta que o Mineirão é um estádio feito para todo o público mineiro e que não há predileção por algum clube ou conflito nas conversas.

Sobre o rival

Ao ser informado sobre o acordo verbal existente entre Cruzeiro e Minas Arena, o presidente Alexandre Kalil, que está em viagem, ignorou o assunto. “O que que eu tenho com isso?”, questionou.

Em seguida, o mandatário alvinegro preferiu não responder sobre a negociação do Galo com a Minas Arena e desligou o telefone, evitando que o assunto fosse aprofundado.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.