sexta-feira, 1 de Agosto de 2014 07:01h Atualizado em 1 de Agosto de 2014 às 07:07h.

Lateral esquerda do Galo ainda é um problema

Ponto deficiente no atual time do Atlético, a lateral esquerda é problema antigo no clube.

Desde a saída de Dedê, revelado pelas categorias de base do Galo em 1997, nenhum jogador conseguiu assumir a posição com autoridade. Vários jogadores foram contratados, atletas da base tiveram oportunidades, mas ninguém conseguiu preencher o espaço, como fez Marcos Rocha no lado direito.
O Atlético conta atualmente com Emerson Conceição e Pedro Botelho para a posição. Eron, revelado pela base em 2010, ainda pertence ao clube, mas se recupera de uma contusão no joelho e está, neste momento, fora dos planos. Apesar de não ter convencido até agora, Emerson Conceição tem o aval do técnico, Levir Culpi. “É satisfatório. Não tenho os números exatos, mas ele é um dos jogadores que mais acertam assistências. Contra o Sport ele acertou um ou dois cruzamentos que deveríamos ter matado”, disse o treinador após a derrota para o time pernambucano, quando Emerson, inclusive, falhou no lance do primeiro gol.
Emerson Conceição disputou 17 partidas pelo Atlético e fez duas assistências para gols. Muito pouco para um jogador que chegou do futebol francês com a responsabilidade  de resolver o problema. Apesar da aprovação do treinador, Emerson pode perder a posição para Pedro Botelho na partida deste domingo, contra o Atlético-PR, no Independência.

 

 

Jogadores
Desde outubro de 2008, quando Kalil assumiu a presidência do clube, pelo menos dez jogadores passaram pela lateral-esquerda alvinegra. Wellington Saci, Fernandinho, Leandro, Júnior, Guilherme Santos, Triguinho, Júnior César, além dos pratas da casa Eron e Thiago Feltri foram alguns nomes testados na era Kalil. Dos citados, Júnior César foi quem mais agradou. Ele fez mais de 30 jogos pelo clube, participou do grupo Campeão da Libertadores, mas não teve o contrato renovado e atualmente defende o Botafogo.

 

 

Improvisações
Sem um titular absoluto, muitos jogadores foram improvisados no setor. O volante Richarlyson foi o titular de Cuca em vários jogos. Após se contundir, o ex-treinador apostou em Lucas Cândido, volante revelação da base atleticana. O jogador foi titular na reta final do Brasileirão de 2013 e no Mundial de Clubes, mas teve uma contusão séria no começo desta temporada e segue em tratamento.
Com Paulo Autuori, o argentino Dátolo foi titular em boa parte do Mineiro e da Libertadores deste ano. No entanto, com a chegada de Levir Culpi, o jogador voltou a disputar posição no meio campo.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.