quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014 04:06h

Lesão pode dar oportunidade a Marcelo Moreno

A lesão muscular na coxa direita de Borges, constatada nesta segunda-feira, abriu espaço no disputado time titular do Cruzeiro.

Apesar de lamentar a contusão do companheiro, o atacante Marcelo Moreno quer aproveitar a oportunidade para ganhar ritmo de jogo e não sair mais da equipe.
O boliviano ainda não foi confirmado pelo técnico Marcelo Oliveira, mas como é a única opção na posição de centroavante, o camisa 18 deve ser o escolhido para começar jogando diante do Villa Nova, nesta quarta-feira, no Mineirão, pela terceira rodada do Campeonato Mineiro. “O ideal é aproveitar os minutos e as oportunidades. Infelizmente, aconteceu a lesão do Borges. O grupo espera que ele se recupere o mais rápido possível para ajudar a gente novamente. Espero aproveitar a oportunidade para pegar ritmo e é jogando que se tenta evoluir ao máximo para ajudar sempre”, declarou Moreno.
Dependendo do tempo em que Borges ficar de fora – o departamento médico do Cruzeiro não informa o prazo de recuperação –, Marcelo Moreno poderá até estrear com a equipe na Copa Libertadores, dia 12, contra o Real Garcilaso, no Peru. Competição que o atacante conhece bem, já que foi o artilheiro em 2008, quando jogava justamente pela Raposa.
Mas até agora, Moreno entrou somente no decorrer das partidas que disputou, contra a URT e a Caldense, porém não conseguiu desempenhar o futebol de seis anos atrás. O atacante pede paciência à torcida para voltar a balançar as redes. “A confiança é sempre importante, ajuda no início, mas sei que vou ser cobrado. É continuar trabalhando sério porque sei que meu futebol vai voltar novamente. Peço para eles terem um pouco de paciência comigo porque fiquei um tempo sem jogar, mas vou tentar fazer meu melhor para entrar no ritmo de jogo”, garantiu.
Quatro vezes campeão brasileiro, em 2001, 2007, 2008 e 2013, a primeira delas pelo Atlético-PR, as duas seguintes pelo São Paulo e a última pelo Cruzeiro, o atacante Dagoberto corre atrás de seu primeiro título da Copa Libertadores da América e chama a atenção para as dificuldades de competição.

De acordo com o jogador, autor de 14 gols na temporada passada, atrás apenas de Borges e Everton Ribeiro, que marcaram 19 e 15 vezes respectivamente, o Cruzeiro precisa impor durante os jogos da Libertadores muito mais que sua reconhecida qualidade técnica. “Olha, é uma competição que marca. Estou lutando há muito tempo também (pelo título), é dificílimo, porque pega os sul-americanos. É um campeonato à parte”, declarou o atleta, que aposta na excelente preparação da equipe celeste.

“Não pense que na técnica vai vencer um campeonato desse, vimos nas últimas competições que tem que ter vários fatores juntos. É dificílimo, o torcedor pode esperar muitas dificuldades nesse caminho. Mas estamos preparandos para a altitude, jogos fora de casa, truncados”.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.