terça-feira, 29 de Abril de 2014 06:03h

Levir sofre primeira derrota no Galo

O técnico, Levir Culpi, terá pouco menos de quatro dias para acabar com a morosidade mostrada pelo Atlético nas últimas partidas e tentar deixar o time bem preparado para o decisivo confronto desta quinta-feira, contra o Nacional de Medellín.

O técnico, Levir Culpi, terá pouco menos de quatro dias para acabar com a morosidade mostrada pelo Atlético nas últimas partidas e tentar deixar o time bem preparado para o decisivo confronto desta quinta-feira, contra o Nacional de Medellín, no Independência, pelas oitavas de final da Libertadores. Para garantir vaga na próxima fase, o Galo precisa vencer por dois gols de diferença. Placar de 1 a 0 leva a decisão para os pênaltis.
Na opinião do treinador, que reestreou pelo clube nesse domingo, na derrota por 2 a 0 para o Grêmio, o Atlético ainda está muito aquém do ideal. Para ele, o apoio do torcedor, que deve lotar o Independência, será decisivo na quinta. “Acho que (o time) ainda não está num padrão para a gente atingir uma conquista, o time tem que melhorar muito, principalmente na rotação. Acho que tem muita coisa para fazer, mas o principal que posso dizer para os torcedores é isso, precisamos agora da torcida. E os jogadores precisam mostrar atitude, que aí nós teremos a torcida conosco”, analisou o comandante.
Levir acompanhou de longe a vitoriosa trajetória do Galo no torneio continental em 2013, mas ainda assim conseguiu notar a atmosfera criada pelos atleticanos nas partidas em Belo Horizonte. Agora, ele espera viver de perto tal ambiente. “Temos que reviver essa situação de Libertadores que tanto embalou o time no ano passado, e espero que se repita dessa vez, na quinta-feira nós vamos começar”, comentou.
Sobre a partida em si, o treinador sabe que o placar de 1 a 0 é complicado, pois um gol dos colombianos exigirá que o Galo marque pelo menos três. Ainda assim, ele acredita que o fator casa pesará a favor do alvinegro. “Vamos ter que tomar muitos cuidados, só que o time vai ter que atacar. Nós temos que vencer por diferença de dois gols, temos que correr riscos. Mas acho que se estivermos juntos, e eu acompanhei alguns jogos da Libertadores com a torcida do Atlético no Independência, é meio caminho para conseguirmos essa vitória”, disse.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.