terça-feira, 8 de Dezembro de 2015 10:01h

Mano Menezes se despede com um ‘até logo’

Ainda que a última impressão tenha sido a derrota por 2 a 0 para o Internacional, no encerramento do Campeonato Brasileiro

Ainda que a última impressão tenha sido a derrota por 2 a 0 para o Internacional, no encerramento do Campeonato Brasileiro, a passagem de Mano Menezes pelo Cruzeiro foi altamente positiva e seguramente deixará saudades no torcedor. O gaúcho, que se despediu neste domingo do clube – ele assumirá o comando do Shandong Luneng, da China – foi o principal responsável pela recuperação celeste no torneio, conseguindo um aproveitamento de 62,5% dos pontos disputados.
Para Mano, apesar de rápida, sua passagem pela Toca da Raposa foi boa para ambas as partes e deixou frutos positivos. “Nós iniciamos a implantação de uma ideia, de uma filosofia. E essa filosofia respeitava aquilo que eu entendia como cultura do Cruzeiro também. Cabe ao Cruzeiro saber como conduzirá isso. No futebol, esse profissional não deve estar sozinho mais. São muitas coisas importantes para serem decididas por um técnico só”, analisou.
Querido pelos torcedores e respeitado pela diretoria, o treinador deu a entender que gostaria de voltar ao Cruzeiro no futuro para realizar um trabalho mais longo. “Espero que seja um até logo. Também não vamos ser demagogos e desrespeitar o sentimento do torcedor. Saio contente com o clube, com o carinho do torcedor. O Cruzeiro foi forte e conseguiu se recuperar porque se uniu. Com exceção de hoje (jogo contra o Inter), talvez tenhamos feito quase todos os jogos bem jogados. Isso dá uma ideia de que o grupo tem qualidade, e o Cruzeiro vai entender como deve conduzir a sequência”, destacou.
Apesar da boa relação criada com todos no clube, Mano descarta a possibilidade de indicar uma pessoa para assumir seu posto no Cruzeiro. “Até ontem, eu me sentia no compromisso de fazer isso como treinador do Cruzeiro. Sempre que consultado, me posicionei. A partir do momento que deixo de ser técnico, não acho correto fazer. Não é a mim que o Cruzeiro consultará. Tenho muito respeito pelos jogadores. E penso que técnico só emitir essas opiniões enquanto está na convivência com esses jogadores, senão é palpite”, decretou o gaúcho.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.