quarta-feira, 22 de Abril de 2015 11:25h Atualizado em 22 de Abril de 2015 às 11:26h. Luciano Eurides

Maria Helena e Azulão Júnior fazem a final do Torneio da Amizade

Na manhã deste domingo foram jogadas as semifinais do Torneio da Amizade no bairro Jusa Fonseca

O Maria Helena venceu o Jusa Fonseca por 1 a 0, gol de Pablo Japão. Já Paraíso e Azulão Junior ficaram no empate em 1 a 1. Nas cobranças de tiro livre da marca do pênalti a equipe de juniores foi mais eficiente e venceu por 5 a 4. A final será no próximo domingo, às 9h, no Jusão.
Na primeira partida da semifinal, o clássico Maria Helena e Jusa Fonseca foi de pouca bola rolando e muitas faltas. Poucas jogadas de criatividade e muita marcação. O time do Jusa Fonseca sofreu o gol marcado por Pablo Japão e o golpe foi duro. Forte marcação do time visitante e a reação não aconteceu. O time do Maria Helena poderia ter aumentado o placar, mas Jeferson Pelada perdeu uma cobrança de pênalti.
O pênalti perdido foi de maneira polêmica. Pelada rolou a bola para Douglas Cachorrão fazer o gol. O goleiro Atila fechou muito bem o ângulo e atrapalhou a jogada ensaiada. Jeferson Pelada confirmou não ser a primeira vez que o lance acontece. “Jogar contra o Jusa é sempre dificil, aqui é a casa deles. Fomos felizes, conseguimos o gol e estamos na final. Queremos fazer uma boa partida, sermos campeões. O jogo estava quente e sempre fazemos isso [lance do pênalti], combinamos e hoje foi o dia que deu errado, já fizemos e não erramos. Não é para provocar, é ser inteligente. Nosso time ficou nervoso, tínhamos de fazer o gol, mas não pode cair a responsabilidade em mim, tinha de ser nele, ele pediu”, falou o jogador.
O jogador Douglas Cachorrão assume a responsabilidade pelo lance. “Polêmico, Maria Helena é isso, somos assim, tínhamos feito no jogo no campo do Palmeiras e deu certo, hoje não deu certo, acabou o lance e todos criticaram, mas eu falei que pode colocar na minha conta, a culpa é minha. Eu pedi o Pelada para fazer. O lance, vimos no jogo do América com Douglas e Euller. Fizemos, deu certo, agora deu errado e se tiver outra oportunidade vamos fazer de novo”, declarou.
O goleiro Atila, da equipe do Jusa Fonseca, falou que não esperava o lance, mas conseguiu fazer um bom trabalho. “Nossa equipe suportou bem, eles tiveram a chance de matar, não fizeram, até me assustou, achei que ele iria bater direto, na segunda bola estava em cima também. Eu tentei tirar o máximo de ângulo dele, intervir o máximo possível”, garantiu.
Na segunda partida da semifinal o Paraíso encarou o Azulão Junior e quem saiu na frente foi o time júnior. Fabrício Fusca, em cobrança de falta e com muita perfeição, fez 1 a 0. Ainda no primeiro tempo, o time do Paraíso colocou a bola alta na área do Azulão, a defesa ficou olhando Paraíba concluir e empatar a partida. O resultado prevaleceu na segunda etapa e levou a decisão para os pênaltis. Diego, goleiro dos juniores defendeu uma cobrança. Adriano, goleiro do Paraíso, também fez uma defesa. Mas na sexta cobrança, Peixe (Paraíso) jogou para fora e os juniores ficaram com a vaga na final.
Nas cobranças de penalidades o goleiro Adriano, da equipe do Paraíso, defendeu a cobrança de Danilo. Já o goleiro Diego defendeu a cobrança de Paulinho. Assinalaram pelo Paraíso: Juninho, Paraíba, Galdson e Platini. Já para o Azulão, Mateus Deodato, Jordan, Léo Roque, Tulio Batata e Fabrício Fusca.
O goleiro Diego está confiante no trabalho da equipe e vai encarar mais um grande desafio. “Foi um bom jogo, começamos na frente, houve um vacilo e sofremos o empate. Nas penalidades tivemos muita fé, eu sou bastante católico, pedi muito a Deus e agradeço. Temos de manter a concentração e a humildade. Não podemos nos intimidar e se depender dos pênaltis eu estarei lá para fazer meu melhor, defender e sair com o título”, confirmou.
A partida da final coloca o time embalado e reforçado do Maria Helena frente à equipe do Azulão Júnior, a maior revelação do futebol amador da cidade. Será, em parte, uma forma de reviver a final América e Maria Helena, na Copa Canarinho, realizada no bairro Maria Helena. Alguns dos atletas são remanescentes daquela grande final, mas ambas se reforçaram, prometendo receber um público superior a 500 pessoas.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.