segunda-feira, 12 de Novembro de 2012 02:42h Gazeta do Oeste

Martinuccio decide, Cruzeiro vence Bahia de virada e assegura permanência na elite

Em meio a incentivos da torcida e protestos contra a diretoria, o Cruzeiro venceu o Bahia por 3 a 1, de virada, na noite deste domingo, no Independência, e assegurou sua permanência na Série A do Campeonato Brasileiro. O argentino Martinuccio, com dois gols, foi o herói do triunfo celeste. No fim, Willian Magrão marcou o terceiro.

Agora o Cruzeiro soma 46 pontos. A vitória sobre o Bahia, combinada com empate entre Sport e Figueirense, deu à Raposa a certeza de que seguirá na elite do futebol nacional. Na 17ª colocação, a equipe pernambucana pode igualar a pontuação cruzeirense, mas não o número de vitórias.

Aliviado, o time celeste volta a campo no próximo domingo, diante do Fluminense, no Rio de Janeiro. A partida marcará a “entrega de faixas” do Tricolor Carioca, que conquistou seu quarto Campeonato Brasileiro neste domingo.

Já o Bahia vê a ameaça de rebaixamento crescer. A distância para a zona da degola caiu para três pontos. Na próxima rodada, o time comandado por Jorginho receberá a Ponte Preta, em Salvador.

Visitantes em vantagem

O duelo entre Cruzeiro e Bahia começou em ritmo acelerado, com os goleiros Fábio e Marcelo Lomba sendo ameaçados nos primeiros minutos. O atacante Fabinho, em cobrança de falta, exigiu grande defesa do arqueiro tricolor. Já o camisa 1 celeste salvou finalização à queima de roupa de Hélder.

Se o Cruzeiro não foi eficiente para marcar o primeiro gol da partida, o Bahia usou a bola parada para abrir o placar. A jogada envolveu dois volantes com passagens pela Toca da Raposa. Depois de cobrança de escanteio, Fabinho desviou para o meio da área, e Fahel, com um carrinho, empurrou a bola para o fundo das redes do goleiro Fábio: 1 a 0.

Logo após o Bahia abrir o placar, a torcida reagiu com protestos na arquibancada. Os gritos eram contrários ao presidente Gilvan de Pinho Tavares, que chega perto do fim de seu primeiro ano de mandato longe de qualquer conquista.

Em campo, o Cruzeiro não deixou de ameaçar o Bahia. Martinuccio, em chute a intermediária, acertou o travessão de Marcelo Lomba. Porém, o time comandado por Celso Roth não foi capaz de buscar o empate na etapa inicial.

Martinuccio decreta a virada

Em desvantagem, o Cruzeiro ficou ainda mais presente no campo de ataque no segundo tempo. A pressão surtiu efeito aos oito minutos, quando a equipe celeste conseguiu o empate. Após escanteio, Anselmo Ramon desviou de cabeça e Martinuccio bateu forte para o gol: 1 a 1.

Dois minutos depois, o Cruzeiro teve a oportunidade da virada. Martinuccio cruzou da esquerda e Marcelo Lomba cortou parcialmente. A bola sobrou para Marcelo Oliveira, que cabeceou para fora. Anselmo Ramon tentou alcançar, mas o carrinho do atacante não foi suficiente.

Nova chance clara do gol da virada foi perdida por Fabinho. Everton cruzou da esquerda e o atacante dominou dentro da área. Depois do giro, a finalização com a perna esquerda foi para fora.

O gol da virada veio, enfim, dos pés novamente de Martinuccio. Anselmo Ramon deu lançamento preciso para o argentino, que pegou de primeira. Um golaço e 2 a 1 no placar.

Roth abdicou então do esquema com três atacantes e sacou Fabinho para a entrada do meia Souza. O domínio cruzeirense passou a ser ameaçado depois que Sandro Silva, com duas advertências em um minuto, acabou expulso. A desvantagem numérica, entretanto, durou apenas 13 minutos. Aos 40, Mancini também recebeu o cartão vermelho, deixando os dois times com dez jogadores.

Na reta final de jogo, o Cruzeiro evitou que o Bahia levasse perigo ao goleiro Fábio e ainda ampliou a vantagem. Willian Magrão, que havia entrado na segunda etapa, marcou um golaço, encobrindo o goleiro Marcelo Lomba.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.