quarta-feira, 8 de Agosto de 2012 16:36h Daniel

Medalha "cala a boca" de presidente da CBBoxe, dispara Adriana Araújo

A conquista da primeira medalha brasileira no boxe após 44 anos fez Adriana Araújo desabafar. Baiana, Adriana se disse prejudicada pela Confederação Brasileira de Boxe e seu presidente, Mauro Silva, que teria a humilhado após sua decisão de não querer treinar na base da entidade, em São Paulo. Para a pugilista, o bronze nos Jogos Olímpicos de Londres-2012 “cala a boca” do dirigente.

“O presidente da Confederação despreza o boxe femino e masculino. Eu fui humilhada por ele”, dispara. “Ele disse que eu não tinha condições de me classificar (aos Jogos Olímpicos de Londres-2012), mas nunca dei ouvidos. Essa medalha cala a boca dele”, desabafa.

Dona da segunda medalha brasileira na história do boxe olímpico – a primeira, também de bronze, foi conquistada por Servílio de Oliveira nos Jogos da Cidade do México, em 1968 –, Adriana teve de abandonar sua rotina de treinamentos em Salvador, sua cidade natal.

Além de Adriana, outros quatro pugilistas da Seleção Brasileira de boxe tiveram de deixar a capital baiana após conquistarem a vaga aos Jogos Olímpicos de Londres'2012: Everton Lopes, Robson Conceição, Érica Matos e Robenilson Conceição, metade da delegação nacional nos Jogos. A decisão não agradou aos atletas, que prefeririam seguir treinando diante de Luiz Dórea, um dos treinadores mais conceituados da modalidade, e de lutadores consagrados como Júnior Cigano e os irmãos Minotauro e Minotouro, do UFC.

“A gente tem que suportar esta política. Eu gostaria de treinar com meu técnico, Luiz Dórea, mas não podemos. Temos de ficar em São Paulo para lutar pela seleção. Muitos ficam até com depressão lá”, confessa.

Marcada por ser a segunda medalha do boxe brasileiro nos Jogos Olímpicos, o bronze de Adriana também foi a centésima conquista do país no evento. Desconhecendo o fato, a pugilista aproveitou para voltar a alfinetar Luis ao comemorar o fato.

“Não sabia que era a centésima medalha do Brasil em Olimpíadas. Vai ser muito comemorada em Salvador. Vai ter festa na Bahia”, conclui.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.