terça-feira, 8 de Novembro de 2011 11:37h Luciano Eurides

Nem mesmo o Cruzeiro acredita no vexame de domingo

O Cruzeiro escreveu na história do clube uma humilhante derrota frente ao Flamengo, no estádio Engenhão. Ao fim da partida os jogadores saíram sem falar com a imprensa, uma partida terrível, principalmente no segundo tempo. O Cruzeiro sofreu um baile do Flamengo e entrou na zona do rebaixamento. A vergonha estava estampada na cara dos jogadores, nos vestiários todos saíram pela porta dos fundos e não quiseram nenhum tipo de contato com a imprensa.


O técnico Vágner Mancini concedeu entrevista coletiva e fez sua análise do jogo deste domingo. Para o comandante celeste, O Cruzeiro teve a oportunidade de sair de campo com a vitória, mas em um duelo que, na opinião dele, teve dois tempos totalmente distintos, a Raposa acabou perdendo para si mesma.“Um jogo que era totalmente favorável, deveríamos estar vencendo no primeiro tempo por dois ou três a zero e acabamos perdendo. Nesses momentos é que reconhecemos o verdadeiro guerreiro, aquele que não desiste... Não dá pra se entregar. Vamos lutar até o último fio. Tudo vai ficando mais difícil, obviamente, as coisas, emocionalmente, vão acontecendo de forma diferente dentro de campo e temos que resgatar a autoestima dos atletas e fazer com que eles vençam o jogo domingo, diante do Inter. Não vamos vencer só baseado em palavras, temos que ter atitude”, afirmou Mancini.


Questionado sobre o esquema adotado neste domingo, com três zagueiros, Vágner Mancini ponderou que a formação foi mantida em relação aos dois últimos jogos e que o Cruzeiro atuou bem no primeiro tempo. Na interpretação do treinador celeste, o Cruzeiro deixou de ganhar uma partida que esteve em suas mãos.


Em entrevista ao programa Alterosa Esporte, o presidente eleito do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, descartou mudar o comando da equipe para a reta final do Campeonato Brasileiro. Após a derrota do último domingo, para o Flamengo, por 5 a 1, a Raposa entrou na zona de rebaixamento da competição e passa a não depender apenas de seus próprios esforços para se salvar da degola. “Não é a mudança de treinador que vai fazer esse time engrenar. Podem ser outros detalhes, mas não a mudança de treinador. Mudamos de treinador recentemente e nenhum dos que já tivemos fez nosso time decolar. São outros detalhes que vão nos tirar dessa situação em que estamos”, afirmou.


Atual técnico do Cruzeiro, Vágner Mancini, tem um retrospecto discreto à frente da equipe: apenas uma vitória em sete jogos disputados. Um aproveitamento de 23,80% dos pontos em disputa.
A torcida do Cruzeiro não perdoou os jogadores do clube no desembarque da delegação no Aeroporto de Confins na madrugada de segunda-feira. Após a goleada sofrida para o Flamengo por 5 a 1, no Rio de Janeiro, dezenas de cruzeirenses foram protestar contra atletas e diretoria na chegada da delegação a BH.

 

 

Prevendo a confusão, a Polícia Militar armou esquema especial de segurança no local. Os jogadores celestes desembarcaram em uma área restrita do aeroporto, onde o ônibus do clube os aguardava.
No saguão, através do vidro, ao avistarem os atletas passando pela escada rolante, os torcedores não pouparam vaias e xingamentos ao estafe Azul. No meio do tumulto, uma vidraça da área de desembarque foi quebrada.


A goleada sofrida no Rio de Janeiro deixou o Cruzeiro na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. A equipe soma atualmente 34 pontos, um a menos do que o Ceará, primeira equipe a se salvar da degola. Na próxima rodada, a Raposa tenta a reabilitação contra o Internacional, domingo, às 19hrs, na Arena do Jacaré.


Além da goleada, perdeu Charles, que também não vem jogando lá essas coisas. Montillo saiu contundido na parte posterior da coxa, tinha dificuldades para andar e somente deve voltar nas rodadas finais da competição. Anselmo Ramon foi expulso.
 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.