quarta-feira, 28 de Janeiro de 2015 09:03h Luciano Eurides

Neto de Rei Pelé é uma das atrações do Guarani

O Guarani de Divinópolis estreia no Campeonato Mineiro 2015 frente à equipe do América, neste domigo, dia 1º de fevereiro, no estádio Waldemar Teixeira de Faria, o Farião

Entre as atrações está Octávio, neto do Rei Pelé, e Fábio Jr. Em situações opostas, as atrações têm um mesmo pensamento, a vitória.
Com apenas 16 anos, Octávio Felinto Neto busca seu lugar na equipe, além de um DNA de quem é o Rei do Futebol, o jovem atleta mostra muita dedicação nos treinamentos. O desejo de Octávio é uma vitória logo na estreia e diante de um dos grandes do futebol mineiro. Com 37 anos, Fábio Júnior tem seu lugar no comando do ataque do Guarani, em pouco tempo já conquistou jogadores e torcedores. Um grande conhecido da torcida do Bugre e também do América.
O Guarani acertou a vinda do lateral esquerdo, Carlos Renato. O atleta de 21 anos vem através de empréstimo pelo América-MG até o final da competição. Carlos Renato será apresentado logo após assinatura do contrato e a expectativa é de que ele chegue a Divinópolis hoje para fazer exames médicos. Revelado na categoria de base do América-MG, o lateral esquerdo disputou onze jogos para o Coelho e marco um gol no clássico contra o Atlético no último ano.

 

AMÉRICA
A média de idade do elenco americano é considerada baixa pela quantidade de jovens valores provenientes da base, que são mesclados com atletas experientes. Com a juventude do grupo, alguns jogadores, mesmo ainda sendo novos, acabam considerados como experientes pelos atletas que acabaram de subir para o profissional. É o caso do lateral Bryan. Ele tem somente 22 anos, mas volta ao América com rodagem e experiência de quem conquistou o acesso à Série A com a Ponte Preta e passagem internacional pelo Benfica de Portugal.
Apesar de ter quase a mesma idade dos outros, o lateral aconselha seus companheiros que estão iniciando a carreira. “Eu e meu pai até contávamos esses dias sobre como é o futebol. Você com 22 anos e hoje em dia pode ser considerado um experiente no grupo. Para os meninos, eu procuro passar o máximo de tranquilidade para eles como foi passado para mim quando eu subi. Tem que chegar dentro de campo e fazer o melhor, sem ficar se preocupando em acertar toda hora. O que eu puder passar a eles vou passar, para que dentro de campo eles também possam fazer o melhor”, promete o jogador.
Bryan subiu com o próprio Givanildo Oliveira, juntamente a vários outros jogadores que foram campeões do Campeonato Brasileiro em 2011. Na época foram bons valores que deram retorno ao Coelho. “Na minha época subiram eu, Matheus, Lula, China, Kaio, Patrick. Mas agora subiram mais, a remessa deles foi maior que a nossa”, brinca o lateral.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.