terça-feira, 19 de Julho de 2016 14:28h Agência Minas

No Dia Nacional do Futebol, Minas Gerais faz contagem regressiva para receber Jogos Olímpicos Rio 2016

Capital mineira receberá dez partidas do Torneio Olímpico de Futebol a partir de 3 de agosto

O Dia Nacional do Futebol é celebrado nesta terça-feira, 19 de julho. Em 15 dias, Minas Gerais entra para a história dos Jogos Olímpicos. O Mineirão receberá, a partir de 3 de agosto, 10 partidas do Torneio Olímpico de Futebol Rio 2016. Serão seis jogos femininos e quatro masculinos, incluindo a disputa pela medalha de bronze.

Na primeira fase, passarão pelo estádio as meninas dos Estados Unidos, Nova Zelândia, França e Colômbia, sendo todos os países representantes do Grupo G da competição. Já no masculino, Argélia, Portugal, Alemanha e Fiji disputarão partidas em Belo Horizonte.

 

 

 

Futebol masculino

Após ser vice-campeão africano, o time masculino da Argélia disputará pela segunda vez em sua história os Jogos Olímpicos. Em sua única participação no maior evento esportivo, Moscou (1980), a Argélia foi eliminada ainda na fase de grupos, após ser sorteada ao lado de equipes recheadas de craques, como a Iugoslávia, Alemanha Oriental e Espanha.

Adversária dos africanos e atual campeã da Eurocopa entre os profissionais, a seleção de Portugal também obtém sucesso nas categorias de base – lembrando que o torneio masculino nas Olimpíadas conta com jogadores menores de 23 anos. O país se classificou para a Rio 2016 após ser vice-campeão europeu sub-23. Será a quarta vez que os portugueses disputarão uma Olimpíada, com o melhor resultado alcançado em Atlanta (1996) – o 4º lugar. Na última participação, Atenas (2004), os europeus contavam com o ainda jovem Cristiano Ronaldo, hoje um dos principais craques do futebol mundial.

 

 

 

Representante do Grupo C, a Alemanha retornará ao palco de uma de suas maiores vitórias. Na última vez que os alemães visitaram o Gigante da Pampulha venceram o Brasil por 7 a 1, na semifinal da Copa do Mundo de 2014, o que até hoje marca o coração dos apaixonados pelo futebol. Medalhistas de ouro em Montreal (1976), os tetracampeões do mundo chegam ao Brasil com a expectativa de repetir o grande resultado conquistado na passagem anterior pela capital mineira.

O adversário dos alemães será o caçulinha Fiji. Para terem o direito de disputar o Torneio Olímpico de Futebol, os oceânicos conquistaram os Jogos Pacíficos, vencendo Vanuatu nos pênaltis, por 4 tentos a 3. O curioso é que na campanha, eles aplicaram uma sonora goleada na Micronésia: 38 a 0. Apesar disso, no Mineirão a tarefa será bem mais complicada. O país virá a Minas Gerais em busca de conquistar, pelo menos, a torcida brasileira, em partida válida pela terceira rodada do Grupo C, onde deverá ser a lanterninha.

 

 

 

Mulheres em campo

Pelo torneio feminino de futebol, o Mineirão sediará todos os jogos do Grupo G na primeira fase. As quatro partidas, realizados em rodadas duplas nos dias 03/08 (quarta-feira) e 06/08 (sábado), envolverão Estados Unidos, França, Colômbia e Nova Zelândia.

Apesar de não obter muito sucesso entre os homens, o futebol – soccer em Inglês – é um esporte dominado pelas meninas dos Estados Unidos. Elas estiveram em todas as seis edições dos Jogos Olímpicos desde que a modalidade passou a fazer parte do programa do evento e conquistaram o lugar mais alto do pódio em 1996, 2004, 2008 e 2012. Apenas em Sydney (2000) as americanas ficaram com a prata. Será justamente no Mineirão que o time da consagrada meio-campista Carly Lloyd e da goleira premiada Hope Solo irá estrear na Olimpíada de 2016.

 

 

As adversárias serão as estrelas do futebol feminino na Oceania: a Nova Zelândia. Tratada como possível zebra no confronto contra os EUA, as neozelandesas disputaram as duas últimas edições do Torneio e o melhor resultado foi conquistado em Londres 2012, com o 8º lugar geral. A única vitória da Nova Zelândia em Olimpíadas foi justamente na última edição, quando bateram Camarões por 3 a 1. Naquela oportunidade, o time foi eliminado pelos Estados Unidos, após derrota por 2 a 0. Quem sabe não é hora de dar o troco?

Pela segunda vez as francesas disputarão o Torneio Olímpico de Futebol. Na última edição, as europeias alcançaram a 4ª colocação após serem derrotadas pelo Canadá na disputa pela medalha de bronze. O grande destaque da equipe é a defensora Laura Georges, que participou de todos os jogos do time na história dos Jogos Olímpicos.

Representante do continente sul-americano ao lado do Brasil, as colombianas também disputaram a modalidade nos Jogos de Londres, em 2012. Conhecidas como Las Cafeteras, a equipe é a atual vice-campeã da Copa América, o que lhe rendeu uma vaga no Rio de Janeiro.

O Torneio Olímpico de Futebol será disputado em outras cinco cidades, além de Belo Horizonte: Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Manaus e Brasília.

 

 

 

Mineiro no apito

No início do mês de maio, a Federação Internacional de Futebol (FIFA) divulgou a lista dos 88 oficiais de arbitragem selecionados para atuarem nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Eles representam mais de 40 países, sendo que 50 ficarão encarregados dos jogos masculinos, enquanto os outros 38 atuarão nas partidas femininas.

O mineiro Sandro Meira Ricci, de 41 anos, filiado à Federação Catarinense de Futebol, foi confirmado como o representante brasileiro no evento, ao lado dos auxiliares Emerson Augusto de Carvalho, 44, e Marcelo Van Gasse, 40 – que vive em Juiz de Fora. Nascido em Poços de Caldas, Sandro apitou, ao lado dos mesmos assistentes, a final do Mundial de Clubes entre Bayern de Munique e Raja Casablanca em 2015. O trio também atuou na Copa do Mundo do Brasil, em 2014.

A única representante da arbitragem feminina brasileira nos Jogos Olímpicos será a catarinense Neuza Inês Back, de 31 anos. Na última semana, a assistente e Marcelo Van Gasse realizaram testes físicos preparatórios para o Torneio Olímpico de Futebol no Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da UFMG.

 

 

 

Futebol até com a mão

O futebol tradicional já se consolidou na preferência de milhões de pessoas pelo mundo. No entanto, outras modalidades inspiradas nesse esporte vêm crescendo junto à população mineira graças às iniciativas da Secretaria de Estado de Esportes.

Recentemente, o gramado do Mineirão deu espaço ao futebol jogado com as mãos: o americano. Com apoio da Secretaria de Estado de Esportes de Minas Gerais (SEESP/MG), o Campeonato Mineiro, que estava adormecido desde 2012, conseguiu atrair o olhar de grandes clubes e patrocinadores, além de conquistar novos seguidores. A partida decisiva até ganhou o apelido de Minas Bowl — em alusão ao Super Bowl, nome dado à decisão da National Football League (NFL), principal liga da modalidade no mundo, disputada nos Estados Unidos. Como resultado, em março, já na abertura da competição, realizada no Estádio Independência, o público atingiu a marca de 5.634 espectadores. Na grande final, no Gigante da Pampulha, quando o Minas Locomotiva bateu o Get Eagles, 8.720 pessoas estiveram presentes.

 

 

De origem inglesa, assim como o futebol convencional, o rúgbi também vem conquistando seu espaço no esporte mineiro. Neste ano, a SEESP decidiu incluir a modalidade no programa dos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG). Além disso, recentemente, o secretário de Estado de Esportes, Carlos Henrique, recebeu em seu gabinete Marcel Cardoso, presidente e atletas do Minas Quad Rugby – equipe campeã brasileira de rúgbi em cadeira de rodas. O título foi conquistado de forma invicta, em Guarapari, no Espírito Santo no último mês de maio.

Jogado por muitos como uma opção ao futebol de campo, o futsal se faz presente nos Jogos Escolares de Minas Gerais, nos Jogos de Minas Gerais e em projetos aprovados pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte. Em abril, o time feminino da Escola Estadual Dulce Ferreira de Souza, de Passos, no Território Sudoeste, conquistou o Campeonato Mundial Escolar, disputado na Croácia, em abril último. Na final, as brasileiras venceram a equipe da França por 6 a 2. E a SEESP ainda reserva mais, está programando dois campeonatos um de Futebol Amador e outro de Futebol Digital e Virtual.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.