sábado, 10 de Maio de 2014 05:38h

Otamendi ainda não venceu o Cruzeiro

Com o contrato de empréstimo terminando no fim de junho, o zagueiro, Otamendi, fará o último clássico com a camisa do Atlético, neste domingo, contra o Cruzeiro, antes de partir rumo ao Valencia-ESP.

Identificado com o clube alvinegro, o defensor ressaltou o desejo de vencer o rival pela primeira vez, já que os três jogos neste ano terminaram empatados em 0 a 0. “Se tenho que ir embora, gostaria de ganhar um clássico. Primeiro, acho que merecemos fazer um bom jogo, isso é importante. É uma boa possibilidade para crescer. Ainda não estamos bem nas partidas e temos que melhorar bastante. Então, é uma boa oportunidade para mudar a situação com uma vitória”, afirmou Otamendi, referindo-se ao mal momento do Atlético após a eliminação na Copa Libertadores e o péssimo início no Campeonato Brasileiro.
Para tentar melhorar as coisas para o lado atleticano, o técnico, Levir Culpi, vem testando o esquema com três zagueiros e tudo indica que o time poderá jogar no 3-5-2.
Sobre o novo esquema, Otamendi, lembrou que já atuou ao lado de Réver e Leonardo Silva, quando o técnico, Paulo Autuori, ainda estava no comando, no empate com o Santa Fe, na Colômbia, na fase de grupos da Libertadores. Naquela oportunidade, no entanto, o camisa 30 foi deslocado para a lateral-direita e o padrão da equipe no 4-2-3-1 foi mantido.
Agora, Otamendi deverá ter uma experiência no Atlético, mas o zagueiro garante que já está acostumado a jogar ao lado de dois defensores e explicou como gosta de atuar no 3-5-2. “É um sistema diferente do que estávamos fazendo. Na Europa se acostumava fazer o mesmo. Eu trato de ficar no mano a mano. Não há muita diferença. Não dificulta nada minha posição. Tenho a característica de sempre sair mais, de antecipação. Vou tentar fazer o melhor”, observou.
O clássico deste domingo, Dia das Mães, entre Atlético e Cruzeiro, válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, marcará o confronto de número 59 entre as duas equipes pela competição, considerando o Brasileiro Unificado, que vai de 1967 até a atual edição.
No entanto, o que mais desperta curiosidade é o equilíbrio nos duelos entre Galo e Raposa, que em 20 oportunidades saíram de campo com a vitória e em outras 20 acabaram derrotados pelo arquirrival, sendo que, enquanto o time azul marcou 78 gols, o time preto e branco balançou as redes em 73 oportunidades.
Se consideramos o Campeonato Brasileiro iniciado em 1971, o equilíbrio é mantido, porém com uma vitória a mais da equipe alvinegra, mandante na partida deste domingo. Neste caso, foram 53 partidas, com 19 vitórias atleticanas, 18 triunfos cruzeirenses e 16 empates, sendo que o time celeste marcou 70 gols, contra 69 do Atlético.
No último duelo entre as duas equipes, realizado em 13 de outubro do ano passado, o Galo se deu melhor e derrotou o arquirrival por 1 a 0, no Independência. Na oportunidade, o gol alvinegro foi marcado pelo atacante Fernandinho, na partida válida pela rodada de número 28 do Brasileirão.
Para o jogo do próximo domingo, às 16h, no Horto, o Atlético, comandado por Levir Culpi, entrará em campo com os jogadores que tem à disposição, porém desfalcado de vários titulares. Já o Cruzeiro, comandado por Marcelo Oliveira, entrará em campo com um time de jogadores considerados reservas, já que os titulares estão focados nas quartas de final da Libertadores, competição da qual é bicampeão e o time alvinegro, eliminado nas oitavas de final neste ano, é o atual detentor da taça.
Conquistando a vitória de número 21 contra a Raposa, em Brasileiros, o Atlético chegará aos quatro pontos e amenizará o pior início na competição mais importante do país na era dos pontos corridos. Caso o triunfo seja da Raposa, atual campeã do Brasil, o time chegará aos 10 pontos e continuará brigando pelas primeiras posições na tabela.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.