quinta-feira, 14 de Janeiro de 2016 11:49h Atualizado em 14 de Janeiro de 2016 às 12:02h. Site oficial Atlético Mineiro

Para começar 2016 com a moral alta

Aguirre exalta vontade e organização tática do Galo, que se impôs diante do Schalke, na estreia da Florida Cup

Nada de “revanche” do Schalke 04. Se o Atlético já tinha sido o protagonista do encontro de 1950, na trajetória dos Campeões do Gelo, em plena Alemanha, a história se repetiu em Fort Lauderdale, pela Florida Cup. Mesmo sendo o primeiro jogo da temporada, o Galo dominou as ações e bateu os Azuis Reais por 3 a 0, gols de Leonardo Silva, Patric e Lucas Cândido.

O placar deixou a Massa, presente em grande número no estádio Lockhart, empolgada para 2016.

O próprio estreante Diego Aguirre se surpreendeu com o ritmo apresentado pelo Alvinegro no duelo. O Galo mostrou bom ritmo físico e tático, apesar de só estar treinando há quase dez dias.

“Pelo fato de estarmos há tão pouco tempo treinando, o resultado me surpreendeu. Sempre é importante ganhar, embora o resultado não contasse. O importante foi ter feito um grande jogo, com o time organizado taticamente e com uma pressão boa para recuperar a bola. Estava todo mundo ligado”, elogiou o técnico uruguaio.

“Fizemos um bom jogo, contra um time muito forte, e tivemos muita dificuldade para conseguir a vitória, mas acho que jogadores estiveram muito concentrados e conscientes da função tática que precisavam fazer. Estamos no começo, foi um bom triunfo, mas temos que ir com calma. Logicamente, sempre é bom ganhar para formar um time ganhador e preparado para as coisas importantes que teremos pela frente”, acrescentou Aguirre.

 

 

Comprometimento

“São Victor” também brilhou, defendendo uma cobrança de pênalti, de Johannes Geis, na etapa complementar.

“Fomos competentes nas bolas aéreas defensivas e ofensivas. Tive também a felicidade de pegar um pênalti, que foi mal marcado. Fico feliz por ter ajudado. O comprometimento e o empenho da equipe fizeram com que o resultado fosse elástico diante do Schalke 04, uma força do futebol europeu”, analisa o camisa 1.

 

 

Coração alvinegro em Porto Rico

Quem saiu feliz do Estádio Lockhart foi o torcedor Santos Caraballo. O músico porto-riquenho acompanha todos os jogos do Galo pela internet.

“A família da minha esposa é de Belo Horizonte. Assim, me apaixonei pelo clube e, desde então, torço de longe. É um milagre que nesta noite pude ver o Galo de perto aqui na Florida! Galooo”, vibra Caraballo.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.