quarta-feira, 27 de Janeiro de 2016 08:41h Atualizado em 27 de Janeiro de 2016 às 08:50h. Luciano Eurides

Paraíso vence o Jusa Fonseca e fica mais próximo das semifinais

O Campeonato Amador de Divinópolis teve quatro partidas realizadas e valendo como jogo de ida das quartas de finais

Quilombo 2x1 Sport, Botafogo 0x2 União, Vasco 0x1 Tupi e Jusa Fonseca 1x2 Paraíso. Os jogos de volta serão realizados no próximo final de semana, os locais e horários ainda não foram definidos pela LMDD. Quem venceu o jogo de ida tem a vantagem do empate na partida de volta.

No Jusão, o clássico entre Jusa Fonseca e Paraíso foi um jogo de erros. Quem errou menos ficou com a vitória, não há como prever a estratégia para o jogo de volta, mesmo porque o mando de campo das duas equipes é no Jusão, onde deverá ser realizado também o jogo de volta.

De maneira geral, o jogo foi bom, houve jogadas trabalhadas, bons chutes de fora da área, e os dois times deram muito trabalho aos goleiros. O Paraíso, melhor distribuído em campo, conseguia usar os dois lados e foram pela direita que nasceram os dois gols da equipe. O primeiro em um erro na saída de bola do Jusa Fonseca, a recuperação no meio, o chute forte, o goleiro Diego desviou e a bola tocou no travessão, voltou nos pés de Jesinho, como centroavante, colocou com categoria para o fundo do gol. Com uma leitura de jogo perfeita, Poeta, na cobrança de escanteio, fez a defesa do Jusa bater cabeça. No primeiro, jogou a bola fechada no segundo pau, a marcação errada, mas se recuperou e salvou, mas na segunda cobrança, achou Lazinho livre de marcação, na pequena área, para ele cabecear, Diego defendeu, mas no rebote ele completou e fez 2x0.

 

 

O placar adverso e uma equipe qualificada como tem o Jusa Fonseca, não havia outra solução a não ser partir na tentativa de empatar. A defesa do Paraíso teve a única desatenção, Mateus passou pela marcação e cruzou rasteiro, para Juninho se enfiar no meio da área e fazer o gol dele. Diminuindo assim o placar. A partir desse momento, foi a vez do Jusa achar o lado esquerdo de ataque como melhor opção. Por ali, fez as melhores jogadas, mas todas pararam nas mãos do goleiro Adriano, o melhor atleta em campo.

Para Léo Roque, volante do Jusa Fonseca a equipe tem condições de assimilar a pressão e fazer a obrigação dela. Vencer o Paraíso no jogo de volta e levar a decisão para os pênaltis. Segundo ele, o time do Jusa errou e tem que aprender com os erros. “É clássico, respeitamos muito a equipe do Paraíso e hoje a bola não entrou, tínhamos velocidade no ataque, mas perdemos a referência. A oportunidade que tiveram fizeram os gols, vamos entrar com mais vontade e garra, temos que vencer para levar a decisão para os pênaltis. A pressão cai toda para nosso lado, temos um elenco forte e, com todos os atletas vindo, vamos sair com o resultado positivo”, disse ele, que é promovido do time campeão júnior de 2015.

 

 

O goleiro Adriano, melhor atleta em campo, destacou que a obrigação de jogar na próxima partida é toda do Jusa Fonseca, não quer saber de decisão por pênaltis, ele se garante, mas distribui a responsabilidade entre os companheiros. “O resultado é importantíssimo, um clássico regional, de uma rivalidade muito grande, no outro jogo, a tranquilidade é de não ter que sair para cima, de postar os jogadores na posição certinha e já começamos com o resultado favorável, no decorrer da partida, fazemos o resto. Aumenta a responsabilidade, mas do time todo, estou com 44 anos e acostumado a ela”, garantiu ele, que a cada ano, se mostra ainda mais preparado.

Em outra semifinal, no campo do Quilombo, zona rural de Divinópolis, o time local vence o Sport de Carmo do Cajuru. O time da casa surpreendeu o adversário com dois golaços. Diego, de fora da área, com um chute indefensável, abriu o placar e da mesma forma, também com um chute forte, Gambá fez 2x0. Com o placar se ampliando, o Sport definitivamente não conseguia jogar. No segundo tempo, uma cobrança de falta, uma bola lenta na pequena área e Tomás entrou livre para diminuir. O Sport tentou avançar, mas nos contra-ataques, o atacante Diego fez a festa. Encarava a marcação, obrigou o goleiro Atila a trabalhar muito, os zagueiros não conseguiam o acompanhar. Foram três ótimas chances para o Quilombo ter ampliado, faltou sorte, mas garantiu a vitória sem grandes problemas.

 

 

O Sport, grande favorito pelo elenco que tem, faltou atletas importantes, mas também não conseguiu jogar. Segundo Douglas Cachorrão, o campo foi mais um adversário, ele dificulta para as equipes mais técnicas. “Infelizmente, as coisas não deram certo, começamos errado, tínhamos que ter marcado no campo do adversário e só conseguimos jogar no segundo tempo, nosso time é muito técnico, acostumado a jogar no campo do Sport, que é gramado, mas tinha de prevalecer a vontade, o time deles teve mais volume de jogo e ganhou. No jogo de volta, temos que mudar a postura, entrar com o espírito que é mata-mata, tem que ter um pouco mais de vontade, o time é bom, o favorito, e tem que colocar os pés no chão e jogar, se impor, colocar em prática nosso futebol e ganhar o jogo. O time tem jogadores rodados, experientes, passaram pelo futebol profissional e agora é ter tranquilidade. O gol não vai sair de qualquer jeito, tem que trabalhar a bola e ter cabeça fria”, falou o ex-jogador do Guarani.

Da mesma forma, raciocinou Alessandro Fumaça, ele cobra um time mais aguerrido na disputa da vaga. “O time deles mudou, em referência ao jogo que já tivemos, o campo não ajudou, o amador em Divinópolis é difícil e mérito deles, conseguiram jogar e vencer. O time que temos é bastante experiente, não temos meninos, não somos bobos, é mais difícil, temos que ganhar, a arma secreta do nosso time é a vontade, que hoje faltou um pouquinho”, considerou o atleta com experiência internacional.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.