terça-feira, 24 de Fevereiro de 2015 10:14h Atualizado em 24 de Fevereiro de 2015 às 10:26h.

Paulo André já traça planos no Cruzeiro

Campeão da Libertadores em 2012 com o Corinthians, o zagueiro Paulo André conhece bem o caminho para o sucesso na mais importante competição do continente

Nesta quarta-feira, o jogador participará da estreia do Cruzeiro no torneio, contra o Universitario Sucre, na Bolívia, e acredita numa boa arrancada do time celeste no grupo 3.
Para Paulo André, o Cruzeiro precisa mostrar o chamado ‘espírito de Libertadores’ na quarta-feira e evitar os erros tolos caso queira somar pontos na Bolívia. “Concentração, espírito de competição elevado. Ou seja, é uma competição que exige mais da parte física, principalmente pela altitude. É um jogo mais aguerrido, então, qualquer falha pode ser fatal. A gente espera poder jogar bem, defensivamente estarmos muitos sólidos para dar tranquilidade ao nosso ataque”, explicou o jogador.
A temida altitude boliviana também foi analisada pelo defensor. Segundo ele, os 2,8 mil metros de Sucre vão exigir muito dos cruzeirenses, mas não tanto quanto em outras cidades bolivianas, especialmente La Paz. “Eu já sofri bastante em Oruro, já sofri em La Paz, e não é fácil. Mas essa altitude de 2.800 é um pouco menos pesada e acho que a gente consegue desenvolver um bom trabalho se mantivermos a posse de bola, principalmente no campo do adversário, para correr menos e qualificar o jogo”, disse.
Apesar de ter feito apenas um jogo com a camisa celeste, o experiente zagueiro já consegue enxergar uma boa evolução no time desde o início do ano. “Acho que jogo a jogo a gente vai adquirindo confiança, vai adquirindo automatismo. Sem dúvida o time jogou melhor hoje [sábado], conseguiu pressionar o adversário no campo deles, conseguiu ser mais efetivo nas finalizações. Ou seja, vai crescendo, vai ganhando cara e espero que a gente consiga estar cada vez mais forte e preparado”, finalizou.
Para o treinador, o Cruzeiro já mostra uma boa evolução e tem tudo para seguir crescendo ao longo da temporada. “O torcedor deve estar satisfeito. E nós também estamos. Precisamos acumular pontos, mas, principalmente, estamos satisfeitos pela produção um pouco melhor do que nos últimos jogos. Tivemos mais equilíbrio, mais consistência. Estamos no caminho certo, houve evolução, os jogadores estão se conhecendo em campo”, comentou.
Apesar dos elogios, Marcelo ainda acha que o Cruzeiro facilitou a vida do Boa na etapa final e alerta que isso pode ser muito perigoso na Libertadores, competição em que o Cruzeiro estreia nesta quarta-feira, diante do Universitario Sucre, na Bolívia. “No segundo tempo, entendo que deixamos o Boa se movimentar muito e jogar. Demos espaço, apesar de eles não terem trazido perigo, mas afrouxamos. Na Libertadores, isso não pode acontecer, pois pode ser perigoso”, alertou o treinador.
Ainda sobre o torneio continental, o técnico admite que o desempenho celeste no ano passado ficou aquém do esperado e espera que as falhas mostradas sejam corrigidas na edição deste ano. “Ficou uma ponta de frustração em relação ao ano passado. Precisamos estudar bem a competição, criar estratégias próprias e perseguir mais essas estratégias sem perder nossa característica de atacar sempre. Ser mais combativo sem a bola, competir mais. Temos que impor bastante em casa e sermos competitivos fora”, ponderou o comandante cruzeirense.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.