quarta-feira, 26 de Março de 2014 05:07h Atualizado em 26 de Março de 2014 às 05:12h.

Paulo Autuori tem semana cheia para treinar o Galo

O calendário apertado deste ano e o atraso na volta dos jogadores do Atlético à pré-temporada, por conta da disputa do Mundial de Clubes.

O calendário apertado deste ano e o atraso na volta dos jogadores do Atlético à pré-temporada, por conta da disputa do Mundial de Clubes, no Marrocos, complicaram o início de trabalho do técnico Paulo Autuori, que tenta ajustar a equipe alvinegra ao longo das partidas. Desde que chegou ao clube, o treinador vai ter a sua segunda semana completa para treinar o grupo visando a sequência de decisões no Campeonato Mineiro e na Copa Libertadores.
Apresentado em 16 de janeiro, Autuori recebeu o elenco completo para as atividades somente quatro dias depois, na reapresentação dos jogadores do time principal que estiveram no Mundial. A partir daí, o técnico teve apenas aquela semana cheia para treinar o grupo visando à estreia no Campeonato Mineiro, contra o Minas Futebol, no dia 29.
Desde então, o Atlético fez 16 jogos em um espaço de 54 dias e, em todas as semanas, a equipe entrou em campo duas vezes: quarta e domingo ou terça e sábado.
Agora, o comandante atleticano terá mais tempo para trabalhar o time e consertar algumas falhas. “Não é somente eu, mas o que todo treinador quer é um equilíbrio na equipe. Temos quatro jogadores de frente extremamente ofensivos e temos que estar equilibrados para não dar o meio-campo ao adversário. Não é fácil conseguir isso durante um trabalho e com jogos. Sempre fica condicionado, se você perde é assim, se ganha é de outro jeito”, observou.
O estilo‘chutão para frente' buscando o atacante Jô deve ser o primeiro da lista de defeitos encontrados por Autuori a ser eliminado. “É um hábito que a equipe criou, que foi extremamente vitorioso. Isso fica na cabeça de todos, principalmente dos jogadores. Hoje as equipes vêm aqui sabendo como Atlético tirou partido no passado desse jogo. Isso vira uma receita e o adversário vem mais fechado. Eu falei com os jogadores que estão pagando preço por terem ganhado a Libertadores”, declarou.
Movimentação no ataque e bola no chão é o objetivo do treinador, que vem pedindo essa postura da equipe há algum tempo, mas que ainda não conseguiu implantar. Por isso, Autuori deve trabalhar bastante esse estilo de jogo durante a semana. “A chave para evitar isso é a mobilidade para criar espaços e fazer um jogo mais agudo. O grupo do Atlético tem qualidade para botar a bola no chão e sair jogando”, ressaltou.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.