quinta-feira, 27 de Agosto de 2015 11:24h Atualizado em 27 de Agosto de 2015 às 11:27h.

Pedregal recebe a primeira partida da final da Copa Rural Centro Oeste Cap

A Copa Rural Centro Oeste Cap já tem definidos os finalistas e marcado para este domingo o primeiro confronto da final

Na categoria aspirante, a partir das 14h, jogam Quilombo e Choro, logo após, pela categoria principal, jogam Pedregal e Choro.

A mais disputada da competição é, sem dúvida, a categoria aspirante. Neste ano, não é diferente e o envolvimento das comunidades é total. O Quilombo classificou-se diante da Djalma Dutra, venceu no campo dos Lopes, por 1x0, gol de Júnior Marçal, já no final da partida e o empate já classificava a equipe, pois havia vencido por o jogo de ida. O adversário de Quilombo é o Choro, este fez um jogo dramático frente ao Cacoco de Baixo.

O time do Choro começou vencendo com um gol de Felipe, logo no início da partida. Houve a reação do Cacoco, Diego Doidera empatou e Michel, com um lindo gol, fez a virada do placar. Este segundo gol foi polêmico, o árbitro Rinaldo Cunha parou o jogo para o atendimento, no retorno da partida, deu a bola para o atleta do Cacoco que ligou rapidamente com Diego Doidera, ele foi derrubado, falta marcada e na cobrança, saiu o gol de Michel. Irregular, pois o árbitro deve dar bola ao chão para a disputa de um representante de cada time. O Choro não se abateu, voltou melhor na segunda etapa e Pombo empatou a partida.

Como houve empate também no jogo de ida, a decisão foi nas cobranças de pênaltis. Diego Doidera e Jeferson Pelada desperdiçaram as cobranças e Toninho e Felipe marcaram para o time da casa e assim, a classificação para a final. O time treinado por Tampinha entrou em campo com Athos, Pombo, Coelho, Toninho, Mateus, Lucas, Caldense, Dernivaldo, Queixinho (Barriga), Daninho e Felipe. Para a final, o jogador Mateus cumpre suspensão. André, Barriga ou mesmo Tampinha são as opções.

Para o jogador Diego Doidera, o time do Cacoco deixou a vitória escapar. “Estávamos com o controle do jogo. Tivemos oportunidade de matar o jogo e em falha nossa, sofremos o empate. Nos pênaltis, o goleiro deles sobressaiu e conseguiram a vitória. Faltou cabeça no lugar, calma e capricho, é assim mesmo, nem sempre vamos ganhar”, garantiu o atacante.

O atleta Bruno Caldense considerou o jogo sofrido. “Começamos o jogo bem e tomamos um gol que poderia ter sido evitado, o segundo gol foi vacilo, não houve o fair play na jogada, o juiz pediu para devolver, não devolveu e sofremos o gol. Conseguimos o gol para a decisão nos pênaltis e chegar a final. Será um grande jogo, e não terá bola perdida, final é final”, falou.

Na categoria principal, o Pedregal conseguiu a classificação ao vencer o Lopes por 1x0, na casa do adversário, gol de Jhonatan. Como havia vencido a primeira partida fará a decisão contra o Choro.

A equipe do Choro conseguiu a classificação ao vencer o Cacoco nos pênaltis. No tempo normal, o time do Cacoco abriu o placar com Marcelo. Pouco tempo depois, o atleta Mimi, do Choro, foi expulso de campo pela arbitragem. Com um homem a menos, a equipe da casa passou a jogar com mais disposição. A entrega dos atletas deu certo. Felipinho empatou o jogo no início da segunda etapa. Houve pelo menos duas excelentes chances de gol para cada lado, mas o empate prevaleceu e nas cobranças de penalidades, Mantena jogou para fora e o Choro se classificou. O Choro, do técnico Coelho, iniciou a partida com Athos (o titular é Vinícius Marreta), Ruan, Messias, Elder, Fredinho, Paulão, Gabi, Mimi, Pig, Felipinho e Pablo.

Leia Também

Imagem principal

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.