sexta-feira, 9 de Novembro de 2012 12:54h Gazeta do Oeste

Pelo 2º ano consecutivo, Roth cumpre "aviso prévio" na reta final do Brasileirão

Embora pareça inusitado, anunciar que deixará o comando de uma equipe antes do fim do Campeonato Brasileiro não é novidade para Celso Roth. Situação similar à que vive atualmente no Cruzeiro, o treinador teve no Grêmio na temporada passada.

Em 2011, Roth anunciou que deixaria o Grêmio em entrevista coletiva concedida no dia 29 de novembro. Naquele momento, o Tricolor se preparava para a disputa do clássico com o Internacional pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

Assim como acontece no Cruzeiro, Roth teve divergências com a diretoria gremista. “Foi um conjunto de coisas e que infelizmente acontece quando não poderia acontecer, deveria acontecer o contrário onde nós todos deveríamos estar direcionado para um objetivo só”, lamentou naquela ocasião.

Roth ainda comandou o Grêmio em derrota para o Internacional, por 1 a 0, no Beira-Rio. Depois de deixar o Tricolor, o treinador só voltou a trabalhar quando foi contratado pelo Cruzeiro poucos dias antes de começar o Brasileirão.

No time celeste, Roth ainda será o treinador do Cruzeiro nas últimas quatro rodadas. A primeira delas será neste domingo, contra o Bahia, no Independência. Ele seguirá à frente da equipe ainda nas partidas contra Fluminense, Coritiba e Atlético.

O presidente Gilvan de Pinho Tavares alega que confia no profissionalismo de Roth, ainda que o treinador já saiba de sua saída após o Brasileirão. “Ele fica até o fim e vai se empenhar nestes últimos jogos”, afirmou.

Já o treinador pede que a torcida apoie a equipe na partida contra o Bahia, para o clube chegar aos 46 pontos e se livrar de vez do risco de rebaixamento. “É uma honra, uma satisfação grande estar no Cruzeiro. Não consegui realizar o que pretendia. É importante que o torcedor seja exigente, porque o clube o acostumou assim”, disse.

“O torcedor teve manifestação do último jogo (derrota para o Santos por 4 a 0) porque foi uma vergonha, não está condizente com a tradição do Cruzeiro, mas é importante o torcedor entender que temos o jogo contra o Bahia e que ele nos ajude, mesmo que tenhamos tido resultado fora do normal contra o Santos. Não podemos consertar isso”, acrescentou. 

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.