quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012 14:19h Luciano Eurides

Poliesportivo liberado será a consolidação de um sonho

A secretaria de Esportes prevê um ano onde as ações realizadas anteriormente culminem em um momento melhor para o esporte, a concretização e uma perspectiva para um futuro melhor. Dentro de tudo isso há um déficit a ser erradicado,aonde esses pontos críticos, vem sendo por parte do poder publico, sempre trabalhado e ás vezes com muita cautela.
O secretário de Esportes, Rômulo Duarte, parte de um princípio de ações onde o esporte cresça de forma planejada. “Desde o início da gestão, principalmente dentro do plano de governo onde cumprimos 80%, inclusive nessa fase estamos em avaliação, sabermos o que está feito, o que falta cumprir e os encaminhamentos para isso. Ficamos satisfeitos, avançamos, acho que temos de comemorar. Finalizar os projetos em andamentos. Otimizar os já iniciados e melhorar a qualidade do serviço ofertado é o nosso desafio”, considerou.
Uma parte do esporte travou juntamente com o fechamento do Poliesportivo Dr Fábio Botelho Notini. Essa preocupação é vista no semblante do secretário Romulo Duarte. “O poliesportivo quase virou história, e nós não vamos deixar de entrar para a história com a finalização dele. É uma situação híbrida, se arrastava por vários anos, foi regularizado através de uma cessão do estado por 15 anos, assim tivemos condição legal de efetivar as verbas para a reforma, destacando a verba do deputado Domingos Sávio. Começaram as obras no segundo semestre do ano passado e está dentro do prazo legal, houve um aditivo e a previsão de entrega em março ou início de abril. Sabemos da necessidade do espaço e da importância de liberá-lo para o uso de todos, inclusive de acessibilidade, piso e iluminação atendo as pessoas com necessidades especiais”, falou
O entendimento do esporte, tendo por base a formação e planejamento, unida a estrutura física leva os esportistas ao raciocínio da plena necessidade de recuperar o tempo perdido. Sem o Poliesportivo, o basquete, vôlei, futsal, artes marciais e muitos outros ficaram muitas vezes sem condições de estabelecer uma continuidade. O arremessar-se a frente depende da coragem e vontade dos esportistas, e sem dúvida a resposta será positiva e teremos tempos melhores que os áureos do Gigante da Getúlio Vargas.

Leia Também

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.