quarta-feira, 31 de Agosto de 2016 16:34h AGENCIA MINAS

Projetos da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte fomentam modalidades olímpicas

Iniciativas para formação de atletas visam ampliar a participação mineira nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio

Após alcançar número recorde de representantes nos Jogos Rio 2016, com 34 atletas, Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado Esportes (Seesp), busca ampliar ainda mais seu apoio às modalidades olímpicas de base e formar atletas para vestirem as cores do Brasil na Olimpíada de Tóquio em 2020.

Um dos programas que viabilizam isso é o Minas Esportiva Incentivo ao Esporte, que tem como objetivo fortalecer o desporto no estado por meio de um esforço conjunto entre o Governo estadual, apoiadores e executores.

A iniciativa conta, atualmente, com 269 projetos esportivos aprovados, que contemplam modalidades olímpicas, sendo elas: atletismo, basquete, boxe, ciclismo BMX, futebol, ginástica artística e de trampolim, halterofilismo, handebol, judô, karatê, luta olímpica, natação, polo aquático, rúgbi, skate, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro com arco, triatlo e voleibol indoor e de praia.

Entre os esportes apoiados pela política pública está o voleibol, modalidade na qual Minas Gerais teve mais representantes nos Jogos Rio 2016. Ao todo, foram sete jogadores: os medalhistas de ouro Ricardo Lucarelli e Maurício Souza, além de Gabi, Adenízia, Sheilla, Fabiana e Juciely.

Para 2020, o objetivo é ampliar esse número. Para isso, o Mackenzie Esporte Clube, de Belo Horizonte, realiza o projeto “Formação de Atletas Voleibol”, com apoio da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte. A ação é comandada pelo técnico Delicélio Rodrigues, recentemente elogiado pelo técnico da Seleção Brasileira Bernardinho. O bicampeão olímpico ressaltou o êxito na formação e desenvolvimento de jogadores em Minas Gerais, colocando o estado como um dos polos do vôlei nacional. 

“É muito especial ser elogiado por um profissional do nível do Bernardinho. Ele é uma referência para todos nós pelo trabalho muito bem sucedido. É uma motivação para que eu possa me empenhar mais e aprimorar a qualidade do meu trabalho”, comemora Delicélio.

No Mackenzie desde 1991, Delicélio foi responsável por revelar a ponteira Gabi, convocada pelo técnico José Roberto Guimarães para fazer parte do elenco brasileiro na Rio 2016. Para formar esportistas desse calibre, o técnico avalia o papel desempenhado pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte.

“O mecanismo é fundamental para a evolução da qualidade e da quantidade de núcleos em atividade no nosso estado. Quanto mais apoio financeiro e administrativo tivermos, mais crianças e adolescentes teremos nas quadras e ginásios”, ressalta.

Formação nas escolas

Entre os contemplados pelos projetos viabilizados pela Lei Estadual de Incentivo ao Esporte estão os alunos-atletas Aline Ferreira Santana, 15 anos, e Thiago Viana, 17 anos, que participam do projeto “Geração Esporte”, executado pela Associação Movimenta Brasil. O programa promove atividades de iniciação em basquete, futsal, handebol e vôlei durante o contraturno de quatro escolas de São José da Lapa, na Região Metropolitana.

Estudante da Escola Municipal Odete Rodrigues Ferreira, Aline pratica o handebol desde 2015 e possui como ídolo a goleira Babi, titular da seleção brasileira nos Jogos Rio 2016 e campeã mundial em 2013. Empolgada com a possibilidade de praticar a modalidade em sua escola, ela não esconde a paixão pelo esporte.

“Meu grande sonho é participar dos Jogos Olímpicos como goleira. Na escola sempre gostei de praticar e, sempre que passa na tevê, acompanho as partidas”, relata a jovem.

Estudando na mesma escola que Aline, Thiago participa das aulas de vôlei e possui como grande ídolo o armador do Sada Cruzeiro, William Arjona, campeão olímpico no Rio de Janeiro.

“Estamos ainda aprendendo os fundamentos do voleibol, mas já se tornou uma paixão para mim. Gosto muito de futebol, mas após começar a jogar vôlei, por meio do projeto, pude realizar o sonho de praticar uma modalidade com regularidade”, comenta.

JEMG

Maior programa esportivo-social do estado, os Jogos Escolares de Minas Gerais também estimulam o desenvolvimento do esporte de base e possuem papel significativo para o surgimento de novos talentos para Tóquio 2020. Disputada por estudantes de 12 a 17 anos das redes pública e particular de ensino, a última edição do evento teve a inscrição de 815 municípios e mais de 1.100 escolas mineiras.

Entre os atletas revelados pelo JEMG está o jogador de basquete Raulzinho, bicampeão dos Jogos pelo Colégio Arnaldo em 2007 e 2008. O armador atua na NBA (principal liga da modalidade) e representou o Brasil nas Olimpíadas de Londres 2012 e Rio 2016.  

Além dele, Núbia Soares, que também é bicampeã do JEMG, fez parte da delegação de salto em distância do Brasil no Rio de Janeiro – foi a estreia olímpica da atleta de Lagoa da Prata.

Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico

O incentivo aos profissionais de alto rendimento também é uma das diretrizes da Seesp. O programa Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico destina-se a apoiar financeiramente atletas e técnicos que apresentem bons históricos em competições de âmbito estadual, nacional, internacional e olímpico/paralímpico.

Em seu último edital, foram disponibilizadas 89 bolsas para os esportistas, enquanto 20 técnicos foram contemplados com o benefício.

A última lista de beneficiários trouxe atletas renomados como a judoca Érika Miranda, o nadador Nícolas Oliveira, o ciclista Renato Rezende e o arqueiro Daniel Xavier, todos presentes nos Jogos Olímpicos Rio 2016.

© 2009-2016. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.