quinta-feira, 2 de Outubro de 2014 05:30h Atualizado em 2 de Outubro de 2014 às 08:02h.

Quebradeira no Mineirão ficou barata para os clubes mineiros

Cruzeiro e Atlético escaparam de uma punição mais severa do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), em julgamento na tarde de ontem, no Rio de Janeiro.

Os dois clubes foram punidos com a perda de um mando de campo, além do pagamento de uma multa de R$ 50 mil pelos incidentes ocorridos no clássico do dia 21 de setembro, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Como a decisão foi em primeira instância, ainda cabe recurso.


Com a decisão, o Cruzeiro terá que enfrentar o Palmeiras pela 30ª rodada do Brasileirão a 100km de Belo Horizonte, em 22 de outubro. O Atlético deve cumprir a pena pela 28ª rodada, diante do São Paulo, dez dias antes.


Apesar do arremesso de explosivos entre as torcidas Pavilhão Independente (Cruzeiro) e Galoucura (Atlético) ter sido citado na súmula da partida, o relator do caso, Gustavo Teixeira, defendeu que não há prova do uso de bombas. Por isso ele votou pela punição em um mando e multa da R$ 50 mil, sendo acompanhado pelo presidente da comissão, Fabrício Dazzi. Outro auditor defendeu apenas multa, de R$ 100 mil, sendo voto vencido.


Os rivais mineiros foram denunciados por infração dupla ao artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBDJ), cuja pena poderia chegar à perda de 20 mandos de campo e pagamento de até R$ 200 mil de multa. Além disso, a procuradoria pedia a realização das partidas com portões fechados, o que fez com que os presidentes de Cruzeiro e Atlético fossem ao Rio para participar do julgamento.
No clássico válido pela 23ª rodada, o árbitro, Marcelo de Lima Henrique, interrompeu a partida aos 41 minutos do primeiro tempo, por causa da explosão de uma bomba logo após a marcação do segundo gol do Galo. Na sequência, outros artefatos também explodiram, cadeiras foram depredadas e a Polícia Militar teve que intervir quando houve a tentativa de invasão por parte de torcidas organizadas dos dois clubes.


Diante dos acontecimentos, as torcidas organizadas Galoucura, Máfia Azul e Pavilhão Independente foram banidas temporariamente dos estádios pelo Ministério Público de Minas Gerais.


O temor por uma punição maior existia principalmente porque os rivais são reincidentes. No ano passado, a torcida do Cruzeiro brigou entre si e com a Polícia Militar no Independência. Por isso, o clube celeste perdeu dois mandos de campo no Brasileirão/2013 (cumpriu um dos jogos este ano) e o alvinegro foi punido em uma partida.

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.