sábado, 25 de Agosto de 2012 09:17h Luciano Eurides

Segredo é a arma de Cruzeiro e Atlético para o clássico

A semana do clássico sempre é atípica nos clubes. No caso da partida do próximo domingo, 18h30min, no Independência a situação oposta das duas equipes foi minimizada. A derrota, pode custar caro a qualquer uma das equipes. Falar menos, evitar polêmica e se possível passar desapercebido é a ordem tanto na Cidade do Galo, onde o time faz ótima campanha, quanto na Toca II, cujo time precisa se reabilitar.

 


Para o Cruzeiro a vitória é para dar moral e fazer a equipe crescer e esquecer o turno. A vida nova para equipe depende em muito desse resultado positivo. O zagueiro Léo foi perguntado pelos jornalistas, na tarde desta quinta-feira, na Toca da Raposa II, sobre a atividade comandada pelo técnico Celso Roth. A imprensa teve acesso ao centro de treinamentos nos minutos finais da atividade, quando os atletas realizavam alongamentos e já deixavam o campo. Para o defensor, o treino foi bastante proveitoso. “Foi um treinamento muito bom, em que a gente pode acertar muitas coisas, definir muitas coisas. Foi um treino muito proveitoso, em que treinamos algumas situações de jogo. A equipe assimilou bem e todo mundo conseguiu fazer bem aquilo que o Celso vem pedindo”.

 


Quando questionado sobre o fato de a imprensa não ter acompanhado o treinamento Léo se mostrou favorável, uma vez que a equipe treinou situações para a partida. “É um jogo importante, um jogo decisivo, que envolve muita coisa, e isso faz parte, treinar com os portões fechados, ter algumas surpresas. Acho que isso faz parte, porque é uma semana muito importante, por se tratar de um clássico. Eu acho que isso é válido sim”.

 


Por fim, Léo também falou sobre o caso de ser o escolhido para uma eventual substituição ao lateral-direito Ceará, que está no Departamento Médico. O zagueiro chegou a atuar improvisado naquele setor em alguns jogos, e foi bem, como na vitória de 3 a 1 sobre o Vasco, em São Januário, no Rio de Janeiro. “A gente sabe, por ter jogado algumas vezes ali, por ter atuado naquele setor em alguns jogos, estou sempre à disposição. Ainda não sabemos como vai ser. Se ele me utilizar ali, vou disposto a exercer aquela função”.

 

 

CIDADE DO GALO

 


Conquistar o Brasileirão e vencer o maior rival seria alegria completa para o torcedor atleticano. Os jogadores, diretoria e comissão técnica sabem da importância de lima vitória dentro do campeonato e diante da torcida adversária. O técnico Cuca comandou um trabalho tático na manhã desta sexta-feira, no penúltimo treino antes do clássico deste domingo, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro, a última do primeiro turno.

 


Para o volante Pierre, a semana de trabalho visando ao clássico foi bastante proveitosa. “Foi uma semana boa de trabalho. Esperamos colocar tudo em prática no domingo e estar em uma tarde abençoada”, disse o volante Pierre.

 


A equipe somente será definida após o treino de hoje, 9h30min na cidade do Galo.

 

 

SOLIDARIEDADE

 


Os jogadores Victor, Marcos Rocha, Carlos César, Fillipe Soutto e Escudero se emocionaram na visita realizada na ala de oncologia pediátrica da Santa Casa, no final da manhã de quinta-feira.

 


Acompanhados do mascote Galo Doido, os atletas alvinegros distribuíram bolas camisas e foram unânimes em dizer que a visita foi mais enriquecedora para eles do que para as próprias crianças.  “Mais do que alegria para eles, é alegria para nós, de poder participar dessa visita, ver o sorriso no rosto deles, trazer alegria pra essa criançada. Estou muito feliz por poder participar e espero que ajude de alguma forma na recuperação deles aqui dento”, disse o goleiro Victor. “É uma fonte de inspiração para a gente. Procuramos buscar neles exemplos de superação, de luta, batalha. São muitos os exemplos positivos que podemos tirar e aplicar em nosso trabalho para nos motivar dentro de campo”, completou o arqueiro atleticano.

 


O volante Fillipe Soutto também destacou a importância da iniciativa. “Eles que nos trazem alegria. Quando a gente vê o carinho que os profissionais têm com as crianças e a satisfação das mães em ver a alegria dos filhos, é muito emocionante. Fico muito feliz por ter essa oportunidade e saber que apenas nossa imagem pode significar tanto, até uma evolução no tratamento deles. Espero que as pessoas possam se conscientizar de que essas crianças precisam muito mais de um sorriso e um carinho, às vezes, do que quantias em dinheiro ou algum tratamento especifico”, destacou o meio-campista.

 


Para o superintendente de Planejamento, Finanças e Recursos Humanos da Santa Casa, Gonçalo de Abreu Barbosa, foi um dia marcante na história da instituição. “Talvez a pessoas não tenham ideia do que representa o carinho na recuperação das crianças. Não é só medicamento e assistência médica. Esse carinho que os jogadores do Atlético estão trazendo para essas crianças que estão vivendo um momento difícil contribui de forma expressiva para a recuperação delas”, afirmou o superintendente.

segredo, arma, cruzeiro, atletico, classico

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.