terça-feira, 3 de Junho de 2014 06:50h

Seleção encara hoje o Panamá em jogo amistoso

Depois de cinco dias em Teresópolis, concentrados e treinando no moderno Centro de Treinamento.

Depois de cinco dias em Teresópolis, concentrados e treinando no moderno Centro de Treinamento, os jogadores fizeram a última atividade na manhã deste domingo, e seguiram às 19h para o Rio de Janeiro, onde embarcaram no avião fretado da patrocinadora Gol para Goiânia. Já na terça-feira voltam a Teresópolis.
Desde cedo, no momento em que a Seleção treinava, as pessoas se aglomeravam nas proximidades da Granja Comary. Por uma questão de logística não há espaço para assistir aos treinos, o que, longe de tirar o ânimo, faz com que as pessoas permaneçam à espera de saudar os jogadores.
Em Goiânia, a delegação seguiu diretamente o Aeroporto Santa Genoveva para o Hotel Castro’s. Apesar do adiantado da hora, cerca de 23h15, havia uma boa quantidade de admiradores aguardando os jogadores.
O técnico Luiz Felipe Scolari não ficou satisfeito com o que viu na primeira semana de treinamentos da seleção brasileira para a Copa do Mundo. Após a atividade deste domingo na Granja Comary, em Teresópolis, o treinador admitiu que o desempenho tático de seus comandados ficou longe do esperado por ele e afirmou que espera evolução para os amistosos contra Panamá, nesta terça-feira, em Goiânia, e Sérvia, na sexta, no Morumbi.
"Não gostei do treinamento, foi tudo errado. Muita coisa errada, muita liberdade, muito contra-ataque, que não é o normal para nossa seleção. Passamos vídeo sobre como deveríamos nos comportar. Sabemos que não é o momento de cobrar, até pelo que estão sendo exigidos na parte física, mas o posicionamento tem que ser o correto", declarou, em entrevista à TV Globo.
O que mais desagradou Felipão foi o posicionamento da defesa nos contra-ataques. Se o time titular chegou a marcar um gol no treino coletivo deste domingo – que venceu por 3 a 2 – usando esse artifício, acabou permitindo no fim da atividade que os reservas também abusassem dos contra-ataques, principalmente nas jogadas em que o goleiro recolocava a bola em jogo rapidamente.
"O adversário vai estar exposto muitas vezes. Algumas seleções deixam até na marcação individual. Se nosso goleiro consegue repor rápido, podemos chegar lá na frente. Mas no final do treinamento, quem fez isso foi o time reserva. Por isso não gosto. Se treino os titulares e peço para fazerem algo, eles têm que saber que pode acontecer. Mas agora já foi, é corrigir e trabalhar em cima disso", comentou.
Um dos principais responsáveis por puxar esse contra-ataque foi Hulk, autor de um gol e uma assistência quando atuou entre os reservas no treinamento. "Tenho gostado do Hulk. É um jogador que taticamente, em determinados momentos, dá equilíbrio pelos lados do campo, fazendo com que tenhamos marcação e melhor posicionamento. Como é rápido, ainda consegue chegar lá na frente e fazer os gols. Tem treinado bem", exaltou Felipão.
Apesar das críticas à seleção, o treinador amenizou e, ao fazer um balanço geral dessa primeira semana, se disse "razoavelmente contente". "Eu saio razoavelmente contente com o que vi. Mas ainda falta o jogo de terça, para ver se o que fizemos foi interessante ou se falta muito. Depois temos uns dias a mais e o jogo da Sérvia. Vamos ver se foi bastante proveitoso ou não para aquilo que estamos planejando."

© 2009-2017. Todos direitos reservados a Gazeta do Oeste. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.